21.4.21

especialista alerta para o perigo da obsessão masculina pelo tamanho do pénis

Há muito que os homens debatem o tamanho dos pénis. O que em alguns casos chega a ser uma obsessão. E se, numa primeira análise, poderá achar surpreendente a ligação que eles têm com o tamanho do órgão sexual, existe uma explicação para que isso aconteça. A mesma é revelada pelo terapeuta sexual André Almeida em conversa com o site Metrópoles. E tudo está relacionado com o falocentrismo.  

“Vivemos numa sociedade falocêntrica. Ou seja, para a maioria, a identidade do que é ser homem gira em torno do pénis. As características físicas desse órgão não são apenas funcionais, mas também definem o valor que esse indivíduo do sexo masculino tem em frente aos outros”, começa por explicar. O que significa que seja comum que os homens comparem o tamanho dos pénis, algo que tendem a ver como o homem ideal. 

 

“Vivemos numa sociedade falocêntrica. Ou seja, para a maioria, a identidade do que é ser homem gira em torno do pénis 

 

Por outro lado, esta obsessão pode deixar a sexualidade em maus lençóis. Explica o especialista que ao dar todo o destaque ao pénis, a sexualidade tende a sair prejudicada. “É complicado porque no momento da falha do órgão, ele também falha como homem. A maioria dos casos que recebo na clínica de disfunção eréctil e de ejaculação estão ligados à ansiedade de desempenho. Que é uma causa adjacente desse medo de não ser bom o suficiente”, refere. 

 

“O pénis é apenas um órgão, assim como o braço ou a perna” 

 

André Almeida explica ainda que também as mulheres tendem a ser prejudicada pelo falocentrismo. Isto porque a vagina tende a ser vista como o oposto do pénis. Ou seja, algo secundário, passivo e até de menos valor. Referindo ainda que o prazer delas acaba por ser relegado para segundo plano. Na medida em que estes homens valorizam apenas a penetração como algo que testa o seu “poder”. “Isto pode prejudicar as mulheres que não sentem tanto prazer na penetração, o que acontece em muitos casos. Sabe-se que, para a mulher, o prazer costuma estar relacionado a outros tipos de estímulos, como o do clitóris, que acabam tendo pouco destaque nesses casos”, salienta. 

 

Por fim, o terapeuta sexual deixa um conselho a todos os homens. “O pénis é apenas um órgão, assim como o braço ou a perna, e não define nada em relação à sociedade. É importante compreender que, para um sexo com prazer, existe um corpo todo para dar e receber prazer, não só um pénis”, conclui. 

Sem comentários:

Enviar um comentário