15.9.22

obrigado, roger federer

Sou jornalista desde 2006. Desde então que já tive a oportunidade de estar à conversa com muitas figuras públicas das mais diversas áreas. Devo ter meia dúzia (se tanto) de fotografias ao lado de alguém com quem estive à conversa. Autógrafos, muito menos.

A única excepção de que me recordo é Roger Federer quando passou pelo Estoril Open, em 2010. Cruzei-me com poucas estrelas (desta dimensão) com a simplicidade de Federer. Numa área em que o pensamento dominante é “sou o dono do mundo porque apareci 2 segundos na televisão”, Roger Federer é um exemplo de humildade e disponibilidade.

Foi assim com os jornalistas como com todas as pessoas com quem se cruzava a caminho do court e que atrasavam o seu percurso. Neste dia, e por ser algo que entendo que não devo fazer enquanto estou a trabalhar, pedi-lhe um autógrafo à saída da tenda da Comunicação Social. O momento ficou registado, sem qualquer pedido, pela lente da extraordinária Leninha (Helena Morais), uma das maiores fãs de Federer que já conheci.

Federer vai acabar a carreira e não será o ténis que irá perder uma lenda. É o desporto que fica mais pobre com o final da carreira de alguém que é um exemplo para todas as crianças que sonham um dia ser profissionais.

Obrigado, Roger Federer.

12.9.22

a imbecilidade a que chegou o futebol português

Sou do Benfica e nunca o escondi desde que tenho o blogue. Por outro lado, e porque o futebol nem sempre gera as melhores reacções, evito escrever sobre o tema por aqui. Mas esta história não pode ser ignorada. Porque é uma das maiores imbecilidades de sempre do futebol português. Sendo que, e antecipando o final, nada irá acontecer a ninguém.

Uma criança de apenas 10 anos foi obrigada pelos seguranças a ver o jogo entre o Famalicão e o Benfica em tronco nu. E porquê? Porque cometeu esse crime hediondo de ir ao futebol na companhia do pai com a camisola do clube de que é adepto. Só que o jovem benfiquista cometeu outro crime horroroso que foi o do seu pai ter comprado bilhetes para a zona em que estavam os adeptos do Famalicão.

E este é o ponto a que chegou o futebol português. Em que existem cada vez mais histórias que afastam pessoas do futebol. Por mais que queiram achar que temos um belo produto para vender, a verdade é que temos um futebol muito fraco. Cheio de episódios e de pessoas que estão a mais num desporto lindo. Queremos ver famílias nas bancadas, mas depois não deixamos que essas crianças sejam livres.

Reforço que era apenas uma criança. De somente 10 anos. Que acabou a ver o jogo em tronco nu. E que certamente continuará a não perceber o motivo pelo qual teve de se despir para ver um jogo de futebol. Enquanto isto, e de acordo com declarações do pai, os seguranças disseram estar a fazer o seu trabalho e a cumprir as ordens do organizador do jogo: o Famalicão. Por sua vez, o clube ainda não se pronunciou sobre o sucedido.

E é isto… Realço apenas que nada tenho contra o Famalicão nem contra os seus dirigentes. Mas há muito para mudar no futebol português. Que bate mesmo no fundo quando acontece algo como isto. Triste, muito triste.

8.9.22

e essas pessoas parvas que gastam fortunas para ver os ranhosos dos coldplay

O título deste texto é uma forma de resumir aquilo que fui lendo relacionado com os concertos que os Coldplay vão dar em Portugal. Basicamente, aqueles que decidiram comprar bilhete não passam de pessoas parvas. Por sua vez, a banda aparenta não ter qualquer qualidade. Ou seja, nada de novo no mundo virtual.

Agora, o outro lado da questão. Goste-se ou não da música que fazem, os Coldplay são uma das maiores bandas da actualidade. Além disso, o grupo tinha feito uma pausa nos concertos até arranjarem forma de que os espectáculos tivessem uma menor pegada ecológica. Mais, Chris Martin já fez saber que a banda irá terminar dentro de qualquer coisa como cinco anos. Vão existir mais dois álbuns e existe a possibilidade de que o final dos Coldplay seja com um musical.

Depois, nem todas as bandas passam por Portugal. O que leva a que alguns portugueses se desloquem ao estrangeiro para ver os grupos da sua preferência. A isto junta-se o local do concerto, que tem capacidade para “apenas” 30 mil pessoas. Ou seja, estes ingredientes fazem com que, de forma natural, os bilhetes esgotem em poucos minutos. E acho que isto não choca (ou não deveria chocar) ninguém. Acontece com muitos espectáculos e com, por exemplo, jogos de futebol.

Por fim, ofender quem gasta dinheiro num bilhete para um concerto. Os preços dos bilhetes começavam nos 65 euros e iam até aos 500. Cada qual sabe de si e não sou ninguém para criticar uma pessoa que decide gastar dinheiro (que é seu) em algo. Cada qual faz a sua gestão e escolhe ver o que tem interesse. Acho que deveria ser tão simples quanto isto, mas é muito mais fácil ofender tudo e todos.

1.9.22

desabafos de pais reais que dizem asneiras e gritam com os filhos

As pessoas costumam aproveitar as redes sociais para partilharem o lado bom da vida. Independentemente de ser uma partilha profissional ou pessoal, existe uma tendência para que seja dado a conhecer aquilo que nos faz bem e deixa bem. E isto aplica-se também ao lado parental da vida de cada um. É frequente ver os pais a partilharem bons momentos passados ao lado da criançada. Sendo que também existem alguns desabafos daqueles que são vistos como “pais reais” que dão conta de diversos episódios menos felizes ao lado dos filhos. E que podem ser pautados por gritos e asneiras. E é disto que quero falar. Porque compreendo na perfeição estes desabafos mas não me revejo nos mesmos.

Vamos começar pela compreensão. A maior parte das pessoas passa a vida a correr de um lado para o outro. Estar com o filho é algo que, às vezes, se tem de fazer a par de mil tarefas. Existe depois a privação de sono. Existem as birras. Existem mil e uma coisas com que os pais têm de lidar. Uns com mais, outros com menos. Por isso, compreendo que algumas pessoas acabem por se “passar” com os filhos. Sendo que tenho a certeza de que todos se arrependem dos momentos em que se apercebem de que estão a gritar por nada de extraordinário. E que o grito não foi tão eficaz com pensavam.

Agora, a parte de não me rever. Não vou mentir. A minha filha também tem os seus momentos de birra. Que felizmente, não são muitos. Também acorda a meio da noite e pede colo. Ou seja, também tem os seus momentos em que me poderia tirar do sério. Quer seja pelo cansaço acumulado ou por outro motivo qualquer. Só que gritar com a Matilde, dizer asneiras, berrar com ela, ser bruto ou o que quer que seja não é uma opção para mim. Numa fase inicial da vida de pai irritei-me com a Matilde porque não queria adormecer. Poucos minutos depois tive a noção de que tinha errado. De que tinha sido injusto. E que o meu comportamento não serviu para mais nada do que irritar a minha filha ainda mais. Senti-me mau pai. Fiquei a sentir-me mal com o erro e desde então percebi que não era o rumo que queria seguir. E que não voltaria a fazer o mesmo.

É por isto que digo que não me revejo nos tais desabafos de quem se passa com alguma frequência. Desde aquele episódio que passei a fazer tudo de forma diferente. Há uma birra? Tento conversar com a Matilde. Está bastante irritada? Dou-lhe tempo para que acalme. Não quer fazer algo? Explico as consequências que isso poderá ter, a nível de tempo, para o que ainda quer fazer no resto do dia. E este tem sido o modo como tenho lidado com os menos em que a Matilde faz birra ou está mais agitada. Se isto faz de mim melhor pai do que aqueles que gritam, dizem asneiras e fazem isto ou aquilo? Não! Não faz de mim melhor nem pior. Esta é simplesmente a forma como decidi lidar com a minha filha.

Aproveito ainda os tais desabafos (e a minha experiência enquanto pai) para defender a opinião de que ser pai é um dos maiores desafios da vida. A começar logo pela momento em que temos uma vida que depende de nós. E isto será um desafio que se prolonga ao longo da vida. Mas é também um desafio para a própria pessoa. Para o casal. Para a vida a dois. Tudo isto acaba por ser testado com a chegada de uma criança. E creio que todos aprendemos muito com aquilo que fazemos. Que seja com o filho, com a pessoa com quem estamos ou mesmo em relação a quem somos.

30.8.22

treinar nas férias: sim ou não?

Treinar nas férias: sim ou não? Antes de dar a minha resposta avanço com diversos pontos de vista. Existem pessoas que nas férias começam a prometer mudar de estilo de vida. E parte delas acha que deve começar a fazê-lo logo nas férias. Mesmo que a actividade física seja uma miragem há largos meses ou anos. Depois, há quem treine de forma regular. E que ache que não deverá pausar durante as férias. Por fim, aqueles que treinam, mas que entendem dar descanso ao corpo enquanto estão de férias.

Sou uma pessoa que treina de forma regular. Nesta fase não estou a frequentar o ginásio, mas dou as minhas corridas diárias, cinco vezes por semana. E sou daquelas pessoas que já levaram planos de treino para as férias. Agora, não. Há muito que percebi que o corpo também precisa de descanso. E que, em muitos casos, não treinar é o melhor treino que podemos fazer. E refiro-me por exemplo, aos dias em que dormimos mal e em que estamos muito cansados.

Por isso, nestas férias decidi parar de treinar. Vou na terceira semana de descanso, o que corresponde à terceira sem corridas. Ainda que férias com uma menina de dois anos tenham muita actividade física envolvida. Mais do que me preocupar em treinar, foco-me em descansar. Porque logo voltarei às minhas rotinas. E sei que esta é uma boa opção para o meu corpo e para o meu bem-estar.

Não sendo obcecado com a alimentação (ainda que tenha alguns cuidados) também aproveito as férias para estar mais à vontade. Sendo que, quando uma alimentação regrada é regra geral, acabo por não ser de grandes excessos. Isto tudo para dizer que não devemos viver escravos de certos pensamentos. Acima de tudo, deveremos saber escutar o que o nosso corpo nos diz. E fazer aquilo que nos faz sentir bem e não aquilo que é moda ou algo do género.

29.8.22

figo, esse pesetero mal-amado

Caso Figo é o mais recente documentário que vi na Netflix. O formato – que recomendo – aborda, pela voz do próprio e de outros protagonistas – a polémica transferência do antigo internacional português do Barcelona para o Real Madrid. Algo que aconteceu no verão quente de 2000 e que fez do ex-jogador o mais caro do mundo.

Como disse, recomendo o formato, mas não sou da opinião de que seja a transferência que mudou o futebol. Aliás, mesmo sendo entre clubes rivais, tinha tudo para ser apenas mais uma transferência mais cara do mundo. Igual a tantas outras de que as pessoas se vão esquecendo com o passar dos anos. Quanto muito, marca uma era no Real Madrid. Pois Figo é o primeiro Galáctico contratado por Florentino Pérez. De resto, não mudou o futebol porque não resultou nenhuma lei desta mudança.

Assumo também que não sou o maior fã de Luís Figo (pessoa que não conheço), pelo menos do que fez fora dos relvados, pois com a bola nos pés era fenomenal, dos melhores de sempre. E digo isto com base em diversos episódios. Figo troca o Sporting pelo Barcelona porque está impedido legalmente de se mudar para Itália. Algo que acontece porque assina dois pré-contratos com Juventus e Parma. E esta é a primeira polémica relacionada com transferências.

De resto, o documentário mostra que todos erraram. Do jogador ao empresário (José Veiga) aos dirigentes de ambos os clubes. Figo não erra por querer algo melhor para si. Não erra por querer um clube que o deseje e acarinhe. Erra porque horas antes da mudança é primeira página de jornal, numa entrevista pedida por si, com a camisola do Barcelona. A garantir que irá permanecer na Catalunha. O então presidente do Barcelona erra ao não acreditar que Figo poderia sair do clube. O aspirante a presidente do Real Madrid erra na forma como negoceia com José Veiga. O empresário erra quando decide fazer um contrato estranho a garantir que Figo seria jogador do Real Madrid se Pérez vencesse as eleições. Por fim, os adeptos do Barcelona erram ao atacar a família de Figo. Uma coisa é o ódio a um jogador que consideram um pesetero, um traidor. Outra, é atacar uma mulher e uma criança.

De resto, o documentário deixar muitas coisas sem resposta. José Veiga garante que Figo estava a par do polémico contrato e que deu ordem para que fosse assinado. O jogador diz que nunca o viu e que o desconhecia. O presidente do Barcelona diz que Figo fez chantagem e pediu uma garantia bancária para ficar e o ex-jogador desmente. Há ainda o alegado episódio de que o presidente dos catalães disse que levava Figo ao destino se alguém pagasse os 60 milhões de euros da cláusula, algo que o Real Madrid fez.

Em jeito de conclusão, fico com a ideia de que Figo nunca quis trocar o Barcelona (onde era capitão e estava enquadrado com a filosofia do clube e com a cidade) pelo Real Madrid. É certo que foi ganhar quatro vezes mais, mas acredito que acabaria por ter o ordenado revisto no Barcelona. Volto a dizer, ninguém pode apontar o dedo ao ex-jogador mesmo que a motivação para a mudança fosse apenas monetária. Mas fica mal na foto na forma como gere a saída. Principalmente quando pede uma entrevista para dizer aos adeptos que fica no Barcelona.

24.8.22

o erro (será a palavra certa?) de amar alguém que não conhecemos

Sou fã da série de documentários da Netflix Histórias do Desporto. O mais recente que vi é sobre a história de Manti Te’o. E antes de avançar faço um pequeno aparte. Não gosto de falar sobre o conteúdo de filmes e séries, mas abro uma excepção nos documentários. Esta é uma história verídica e muito badalada na época.

Manti Te’o era a grande estrela do futebol americano universitário. O desportista, hoje com 31 anos, tinha todas as grandes universidades atrás de si. Deu-se ao luxo de escolher uma em que poucos acreditavam. Optou por fazer o último ano de faculdade em vez de ir logo para a NFL. E no meio de tudo isto cometeu o erro (será a palavra certa?) de se apaixonar por alguém que nunca viu.

Apesar de ser uma grande estrela do desporto, Manti Te’o saltou para a capa de muitas publicações no dia em que revela que a avó e a namorada morreram na mesma noite. O jogador faz uma grande época que dedica às duas e estes ingredientes dão ainda mais força à sua história. Até ao dia em que é feita uma denúncia que a namorada de Manti não existia. E acabou por se tornar público que o jogador mantinha uma relação com um homem que se fazia passar por mulher e que o casal nunca se tinha encontrado. Este escândalo teve impacto na vida desportiva de Manti. Teve impacto na sua vida pessoal e fez com que fosse alvo de muitas piadas ofensivas.

Agora, vamos recuar no tempo. Isto teve início em 2008, numa era em que existiam poucas redes sociais e que ninguém sabia o que era catfishing. Manti recebe um pedido de amizade no Facebook e fala com o amigo em comum que tinha com a pessoa por quem se viria a apaixonar (homem que usava fotos de uma mulher). O primo diz que conhece a pessoa. Fala ainda com outros homens que tiveram relação com a mulher e todos dizem que existe. Ou seja, fez o que estava ao seu alcance. Depois, existe a ingenuidade de acreditar em todas as desculpas para que nunca se vissem. Mas quem ama não é ingénuo em algum momento?

Manti Te’o simplesmente perdeu-se de amores por um homem (preso no corpo de uma mulher) que estavam genuinamente apaixonado por si. E isto marcou para sempre a vida de um dos grandes desportistas do futebol americano universitário. No documentário é possível ver Manti a falar sobre tudo. Existem muitas entrevistas (como do outro protagonista da história – Ronaiah – que está num processo de transição) e chega a ser comovente ver a forma como tudo isto teve impacto na vida de ambos, em especial de Manti Te’o.

O atleta, que não enganou ninguém, é acusado de ser uma farsa. É alvo do gozo de muitas pessoas. E tudo porque se apaixonou por quem não conhecia. Recomendo o documentário (de dois episódios) porque há muito a aprender. Em especial como a forma como Manti Te’o encara os acontecimentos e a sua vida.

15.8.22

Um silêncio que entristece

Sempre gostei de chegar a casa e do silêncio daquele que é o meu refúgio. Que acaba por ser uma das formas de criar uma barreira entre aquilo que acontece fora de casa e que não permito que entre no meu lar. E sempre foi assim. Até ao dia em que a Matilde nasceu. A partir desse momento, esta paz foi sendo pintada com barulhos que são tudo menos incomodativos. São as gargalhadas, os passos pela casa, os sons dos brinquedos, as conversas e por aí fora. E se é verdade que sempre gostei de estar sozinho em casa, agora custa muito. Estou há alguns dias sem a companhia da Matilde e o silêncio entristece. Vejo os brinquedos. Vejo as coisas dela. Mas há um silêncio que me congela. Não há um sorriso, uma brincadeira, uma palavra… não há nada. E tudo isto faz com que sinta um grande vazio com algo que sempre apreciei.

12.8.22

interessa correr muito ou pouco?

São 4 quilómetros por treino.
São 5 treinos por semana.
São 80 quilómetros por mês.

Estes números dão para tudo. Para um “uau, farta-se de correr” até um “bela merda, corro isso numa semana”. Para mim, é a melhor forma de rentabilizar a hora de almoço. Corrida + duche + refeição.

Corro menos tempo do que quero. Faço distâncias mais curtas do que o treino já pede. E corro a horários que dispensava. Mas, lá está, é o buraco que encontrei para treinar e que me dá margem para outras coisas. E desenganem-se aqueles que acreditam que treinos mais curtos sao menos eficazes. E também é possível criar objectivos em treinos destes.

Podia correr mais, mas estou feliz assim. E com resultados dentro do que estipulei: menos peso e menos volume. Agora, é manter e trabalhar para o objectivo final.

11.8.22

e quando um filme (e não é dos que estás a pensar) revoluciona a tua vida sexual

American Pie: A Primeira Vez é um dos filmes que marca a minha adolescência. Não que estejamos perante uma obra-prima do cinema, mas porque é uma comédia muito bem conseguida. Com um leque de personagens muito bem-criados e com excelentes interpretações. Depois, existem pequenos detalhes que ficaram para sempre. Um deles é protagonizado por Jennifer Coolidge. Quem? A famosa Mãe do Stifler.

Este pequeno personagem foi o responsável pela fama mundial do acrónimo MILF, que em português pode ser descrito, de forma suave, como uma mulher que é mãe e com quem se gostaria de ter relações sexuais. Aquilo que talvez possa surpreender muitas pessoas é que este papel acabou por mudar a vida da atriz norte-americana, hoje com 60 anos. Foi numa entrevista à Variety que Jennifer fez uma confissão que envolve a sua vida sexual. Revelando ter dormido com “umas 200 pessoas” devido ao mítico personagem.

“Gostei muito de ser uma MILF e tive muitas relações sexuais por causa de American Pie. Houve tantos benefícios em fazer esse filme. Quero dizer, haveria umas 200 pessoas com quem nunca teria dormido”, conta a atriz que tem sido bastante elogiada devido à prestação na série The White Lotus. “Talvez tenha recebido essa atenção especial porque as pessoas me viam antes só como a mãe de Stifler. Pessoas que eu nunca conseguiria passar nem da porta de repente estão a pedir-me para fazer parte dos seus projectos”, diz. Como diria Fernando Pessa, “e esta hein?!”

10.8.22

fazes isto na casa-de-banho, não fazes? então… tem muito cuidado

Vou falar de algo que certamente quase todas as pessoas fazem na casa-de-banho. E estou a falar de deixar a toalha de banho no wc depois de usada. Assumo que o faço (ainda que fique esticada a secar), sendo que não faço outro detalhe que passa pela partilha da toalha com outras pessoas. Só que diz que este hábito aparentemente inocente é de um grande perigo.

De acordo com Roberto Martins Figueiredo, que também dá pelo nome de Dr. Bactéria, deixar a toalha usada na casa-de-banho é algo que pode levar à transmissão de doenças. E estamos a falar de doenças sexualmente transmissíveis, como é o caso do vírus do papiloma humano, e de doenças respiratórias. Sendo que um dos motivos pelos quais isto acontece é a humidade. E o conselho passa por deixar a toalha a secar ou por lavá-la de imediato. Ou lavar a toalha após dois dias de uso. Diz que é isto que evita a exposição a bactérias.

Diz o médico que também deveremos ter cuidado com a arrumação das toalhas para que não fiquem expostas ao pó. Isto por causa dos ácaros. E também não devem ser dobradas húmidas para evitar o aparecimento de manchas de bolor. Sendo que tudo isto pode ser um caminho para a rinite, asma e aspergilose, uma doença pulmonar com origem em fungos. Agora, assume lá, aqui que ninguém nos ouve, que deixas a toalha na casa-de-banho.

temos de falar sobre esta moda do sexo a toda a hora e em todos os lugares

Estudei do 7º ao 12º ano numa escola. Foi por lá que passei boa parte da minha adolescência numa era em que não existiam redes sociais e em que os telemóveis (não confundir com smartphones) era uma espécie de raridade. Nesta altura recordo-me de ouvir duas ou três história de cariz sexual. Da pessoa X que tinha sido apanhada a fazer algo a Y junto a um qualquer pavilhão. Para ser preciso, há uma história que é mesmo real. O resto são rumores.

Agora, tudo é diferente. Há mais redes sociais do que aquelas que conseguimos memorizar. Existem mais smartphones do que pessoas e um está sempre a gravar algo. E existe um aparentemente incontrolável desejo sexual. Isto ou falta de pudor e ausência de medo de ser apanhado. É raro o dia em que não se torna viral um vídeo de um casal a fazer algo de cariz sexual numa praia (em frente a todos), numa paragem de autocarro (sem receio das vozes que se fazem ouvir) ou num qualquer beco ou discoteca. É assim em Lisboa, no Porto, na Madeira e em todo o lado. E parece estar tudo bem. E digo isto porque os intervenientes nunca se incomodam com a situação que está a ser gravada (e a gravação dava tema para outro debate). Correndo o risco de estar a exagerar, há mais vídeos de cariz sexual em locais públicos do que de homens apanhados a roubar catalisadores.

É certo que os tempos são outros, mas não consigo perceber este desejo desenfreado que leva a que adolescentes e jovens adultos arrisquem tanto por tão pouco. Comparando com o meu tempo, não digo que estes jovens tenham um maior desejo sexual. Aliás, existem mesmo estudos que referem que os jovens fazem cada vez menos sexo. Existe é uma indiferença assustadora. Na minha época (até soa a velho) existia receio. Existia recato. As pessoas afastavam-se. Faziam as coisas longe dos olhares de todos. E ninguém queria andar nas bocas do mundo por ser isto ou aquilo, por fazer isto ou aquilo. E é isto que parece que se perdeu. E por uns breves minutos que podem representar um peso muito grande. Com uma reputação que não se apaga devido à partilha de algo que nunca será apagado.

9.8.22

quem me explica a utilidade disto #60

Não raras são as vezes em que são feitas piadas sobre o facto de os homens urinarem de pé em qualquer lado. Agora, há um produto que possibilita que as mulheres façam o mesmo. Diz que se chama Female Travel Urinal e que está à venda no Alibaba por um preço modesto que ronda os 10 cêntimos.


É certo que isto é promovido algo para usar em viagens e como uma espécie de ferramenta que deverá permitir que as mulheres urinem qualquer lado em pé. Ainda assim, peço que alguém me explique a utilidade disto. E já agora, as mulheres que passam por aqui compravam isto?

sobre esta coisa do “foste pai tarde”

Fui pai em 2020 quando tinha 39 anos. E desde então que tenho ouvido algumas vezes algo como “foste pai tarde”. Sendo que incluo estas palavras naquele segmento de chavões a que as pessoas recorrem quando acham que têm que dizer alguma coisa. Digo isto porque sei que muitas pessoas não o dizem por mal – nem é algo que me incomode – mas também acredito que dizem apenas porque sim.

Nos dias que correm é cada vez mais comum ver pessoas que são pais (pela primeira vez) perto dos 40. Aliás, numa das consultas que tivemos, uma médica disse à minha mulher (ligeiramente mais nova do que eu) que ia ser mãe nova tendo em conta os tempos que vivemos. E este pode ser o ponto de partida para a minha opinião. Longe vão os tempos em que a generalidade dos casais tinha filhos aos vinte anos e em que as mulheres ficavam em casa e tinham como “profissão” estar com os filhos.

Hoje, tudo é diferente. A estabilidade financeira não chega muito depressa. As relações estáveis nem sempre acontecem em tenra idade. E tanto homens como mulheres dão prioridade, até certa idade, às carreiras. Adiando assim o desejo de ter um filho. E o caso das mulheres até dava para um texto à parte. Porque muitas, apenas para dar um exemplo, adiam o desejo com medo de perder o cargo que têm. Este é um ponto.

Depois, há outros casos. Tal como existem pessoas que acham que fui pai tarde, vejo pessoas que entendo (na minha modesta opinião) terem sido pais demasiado jovens. Vejo pais sem qualquer preparação (entre aquelas que podemos antecipar) para o nobre cargo que desempenham. E até prefiro não aprofundar muito este ponto com receio de ser mal interpretado. Vejo também casais que têm filhos sem qualquer base sólida entre ambos. E podia dar mais exemplos.

Quando era mais novo costumava dizer que queria ser pai aos 25 anos. Mas cedo percebi que seria complicado. Algo que a vida me ensinou. E tenho a certeza de que fui melhor pai com 39 anos do que seria com 25 anos. E não acho que tenha sido pai tarde porque isso seria olhar para mim como “velho”. É certo que podemos recorrer à matemática para fazer contas e sustentar esse pensamento do “tarde”. Mas, mais uma vez, não é assim que vejo as coisas. Porque conheço pessoas de 20 anos que são velhas e conheço pessoas com mais de 50 que são muito jovens. Concluindo, os chavões também se desactualizam. E ser pai não é algo que possa ser sustentado com uma equação matemática.

8.8.22

verdade ou mito #106

A masturbação é uma excelente ferramenta para melhorar o sistema imunitário. Até porque os orgasmos levam a um aumento de hormonas associadas ao bem-estar, como é o caso da dopamina, serotonina e oxitocina. Isto sem esquecer que ajuda a regular os níveis de cortisona e tudo isto é uma boa ajuda para que o sistema imunitário. Isto será verdade? Ou será mito? Porque a masturbação até pode ter alguns benefícios, mas este não é claramente um deles. Verdade ou mito?

não sei se vale a pena manter o blogue a funcionar

Muitas são as vezes em que me sinto isolado numa ilha deserta chamada blogosfera. Dez anos de blogue são uma eternidade que dá para experimentar diversas sensações. E neste fase, e digo-o com a maior das sinceridades, penso diversas vezes na eventualidade de acabar com o blogue e ficar agradecido por tudo aquilo que aconteceu. Por outro lado, a paixão pela escrita leva-me a querer continuar a escrever.

E este segundo desejo faz com que pense no rumo que quero para o blogue. Até porque não tenho qualquer vontade de migrar para o Instagram (que sempre tive, mas raramente com uma variante de textos que poderiam estar aqui) nem para outra rede social qualquer. Ou seja, estas serão sempre uma extensão do blogue, que é a minha verdadeira paixão. Uma coisa é certa, tenho saudades daquela vertente mais pessoal do blogue. É certo que aprecio muito escrever, adoro notícias – ou não fosse jornalista – e vou partilhando por aqui algumas que considero interessantes. Mas acho que chegou a hora de mudar o rumo do blogue.

Não sei quantos textos irei publicar nem a frequência com que o irei fazer. Mas é certo: irá regressar o lado pessoal que sempre esteve por aqui. Isto enquanto irei continuar a combater aquela voz que me diz que talvez seja mesmo melhor deixar isto chegar ao fim. Vamos a isto e veremos no que dá.

2.8.22

zelensky pelo que fez ao lado da mulher

Visto como um exemplo para muitas pessoas nos quatro cantos do mundo, Volodomyr Zelensky está a ser arrasado. O presidente ucraniano é alvo de muitas críticas por “espectacularizar a guerra” ao lado da mulher, Olena Zelenska. Tudo devido à produção que o casal fez para a Vogue, que terá a primeira-dama ucraniana na capa na edição de Outubro.

Num vídeo é mesmo possível ver Zelensky a sorrir. Por sua vez, Olena chega a posar ao lado de soldados ucranianos e junto a um avião destruído. A polémica reportagem é da autoria da jornalista Rachel Donadio, conta com fotos da afamada Annie Leibovitz e foi realizada em Kiev. “Retrato de coragem: a primeira-dama da Ucrânia, Olena Zelenska” é o título da controversa peça que está já a correr mundo.

“Mas é claro que estou a sentir a falta deles [família]. Queria tanto abraçá-los. Queria poder tocá-los”

“O lar também é a linha da frente. (…) Posso fazer isso por uma parte do nosso povo, por uma parte significativa. (…) Mas para mulheres e crianças, a minha mulher estar aqui é um exemplo. Acredito que ela desempenha um papel muito poderoso para a Ucrânia, para as nossas famílias e para as nossas mulheres”, diz Zelensky à publicação. Que aproveita a entrevista para reforçar o pedido de que todos os países apoiem a Ucrânia. Ao mesmo tempo que desvaloriza as alegações em torno da importância do gás russo para a Europa. “Serei muito honesto e talvez não muito diplomático: o gás não +e nada. Mesmo a covid não é nada quando comparada com o que está a acontecer na Ucrânia. (…) Apenas tente imaginar o que estou a dizer a acontecer na sua casa, no seu país. Ainda estaria a pensar nos preços do gás ou eletricidade?”, questiona.

Numa conversa que aborda o lado pessoal, Zelensky não esconde a preocupação que sente em relação à mulher e aos dois filhos do casal. “Como qualquer homem comum preocupo-me muito com eles [família], com a sua segurança. Não queria que fossem colocados em perigo. (...) Não é sobre romance. É sobre horrores que estavam a acontecer aqui na periferia de Kiev e todos aqueles horrores que estão a acontecer agora no nosso país, em territórios ocupados. (...) Mas é claro que estou a sentir a falta deles. Queria tanto abraçá-los. Queria poder tocá-los”, desabafa.

“Não posso pensar nisso [serem alvos russos] muito a sério, porque senão ficaria paranóica”

O presidente ucraniano deixa ainda muitos elogios à mulher. “Ela tem uma personalidade forte para começar. E provavelmente ela é mais forte do que pensava que era. E esta guerra... bem, qualquer guerra provavelmente trará qualidades que você nunca imaginou ter. (...) Claro que ela é o meu amor. Mas ela é a minha maior amiga. (...) Olena é realmente a minha melhor amiga. Ela também é patriota e ama profundamente a Ucrânia. É verdade. E ela é uma excelente mãe”, diz. Por sua vez, Olena salienta que os últimos meses foram os piores da sua vida. “Estes foram os meses mais horríveis da minha vida e da vida de todos os ucranianos. (...) Francamente, acho que ninguém está ciente de como conseguimos lidar emocionalmente. (...) Estamos ansiosos pela vitória. Não temos dúvidas de que venceremos. E é isso que nos mantém em movimento”, defende. A primeira-dama confessa ainda que tenta não pensar que ela, o marido e os filhos possam ser alvos russos desde a invasão. “Não posso pensar nisso muito a sério, porque senão ficaria paranóica”, diz.

Muitas críticas nas redes sociais

A reportagem do casal está a ser alvo de muitas críticas que não chegam apenas de anónimos. Ian Bremmer, cientista político e presidente do Grupo Eurasia, é uma das vozes críticas. “Zelensky tem feito um trabalho espetacular a derrotar russos na guerra de informação. Uma sessão fotográfica para a Vogue em tempos de guerra é uma ideia péssima”, partilhou no Twitter. “Gosto da capa. Só acho que o presidente não deveria ter participado”, acrescenta após várias perguntas dos seguidores.

1.8.22

masturbação: descobre se existem riscos em masturbares-te de mais

Existem diversos benefícios associados à masturbação. É bom, saudável e faz bem à pele. Além disso, é algo que ajuda a melhorar a autoestima. E estes são apenas alguns dos fatores realçados pelos especialistas. E se é verdade que este é um tema cada vez mais falado, é igualmente verdade que ainda é tabu para muitas pessoas. Existindo diversas dúvidas e mitos em torno da masturbação. Como é o caso da eterna questão: existem riscos em masturbares-te de mais?

Indo directo à pergunta, a verdade é que uma masturbação excessiva pode dar origem a diversos problemas. Algo que é abordado pelo Pouca Vergonha, que começa por salientar os benefícios da prática. “São os mesmos proporcionados pela relação sexual, aliviando o stress, fazendo a manutenção e promovendo o aumento do desejo sexual, além de auxiliar na autodescoberta do prazer e do autoconhecimento”, salienta a sexóloga Jéssica Siqueira, do Sexo Sem Dúvida.

“Existem pessoas que chegam a sentir ciúmes quando o parceiro chega ao orgasmo a sós”

A especialista salienta ainda os tabus em torno da masturbação. “Principalmente porque as pessoas associam como um substituto do relacionamento sexual, existem pessoas que chegam a sentir ciúmes quando o parceiro chega ao orgasmo a sós”, revela. É importante ter em mente que só é considerado vício quando passa a prejudicar as funções diárias. “Quando acontece algum comprometimento da vida funcional, como a pessoa deixar de sair com amigos para ficar sozinho na masturbação. E ainda há um outro risco associado: a dependência da pornografia, fazendo a pessoa isolar-se e evitar contatos sociais para viver o próprio vício”, explica.

Por fim, são partilhadas algumas dicas para incluir a masturbação numa rotina saudável. “Chame a sua parceria na hora do sexo para uma masturbação mútua, tente incluir a prática como casal. Ou estimule-se a sós, com o intuito de se dar prazer”, recomenda a especialista. Ou seja, os benefícios superam os riscos. Sendo importante ter em mente o equilíbrio. Em caso de excessos, é recomendado que procure um especialista.

demi rose e a roupa em forma de jóias que pouco ou nada escondem

Demi Rose é uma das influencers de maior destaque da atualidade. Sendo bem provável que a celebridade inglesa, de 27 anos, seja uma das mulheres que mais dores de cabeça dá aos responsáveis pela censura de fotos no Instagram. Isto porque Demi Rose gosta de partilhar imagens em que a ousadia e exposição corporal se destacam muito mais do que a roupa que cobre o corpo da modelo.

Prova disso é uma publicação recente de Demi Rose. A influencer partilhou nas histórias do Instagram uma selfie em que aparece com o corpo coberto por jóias. Não há qualquer explicação na imagem nem a habitual identificação da marca de roupa. Sendo que aquilo que os fãs mais destacam é que o corpo da celebridade pouco está tapado pela “roupa” em forma de jóias.

Melhor e maior bumbum

A modelo britânica já foi considerada a mulher que tem o melhor e maior bumbum, fazendo com que Kim Kardashian perdesse o título que vinha sendo seu ao longo dos últimos tempos. Não deixa de ser curioso que Demi Rose tenha ficado conhecida precisamente devido ao clã Kardashian. Algo que aconteceu quando começou a namorar com o rapper Tyga, que tinha sido namorado de Kylie Jenner, irmã de Kim.

Antes dessa relação mediática, muitos já tinham reparado nas fotos ousadas que a modelo partilha nas redes sociais. Estes dois momentos levaram a que rapidamente assinasse contrato com uma agência de modelos. Demi Rose explicou que bastaram algumas imagens no Instagram para que passasse dos 60 mil para os 3,2 milhões de seguidores (hoje tem 19,9 milhões).

A mulher sensação das redes sociais tirou um curso de beleza e saúde. Mas decidiu arriscar ao trocar a carreira pelo desejo de ser modelo de lingerie. Algo que tem vindo a conseguir. E já fez saber que trabalha muito para manter as curvas que lhe deram fama. Demi Rose costuma treinar com frequência, tendo o hábito de partilhar os treinos nas redes sociais. O esforço da modelo tem sido recompensado com diversas capas de revista. E não estranhe se reconhecer a cara (e corpo) da modelo. É que Demi Rose já entrou em diversos vídeos de música de artistas como Chris Brown.

Quer ser a DJ mais sexy do mundo

É certo que Demi Rose arriscou ao trocar uma profissão segura pelo sonho de ser modelo de lingerie. É verdade que é um sucesso nas redes sociais e que já destronou Kim Kardashian no lugar de destaque das mulheres que são elogiadas pelo bumbum. Mas a jovem britânica quer mais! Demi Rose sonha com uma carreira em Hollywood. E quer ser conhecida como a DJ mais sexy do mundo. A modelo está a apostar nesta área – já atuou em festas em Ibiza, Espanha – e chegou a promover-se com este título.

adeptos repudiam contratação de cristiano ronaldo: “jogador em franca decadência”

Não está fácil a vida de Cristiano Ronaldo. Numa altura em que continuam a circular rumores de que o jogador português quer abandonar o Manchester United, fecha-se mais uma porta de um clube que estava a ser apontado como principal destino do camisola sete. Trata-se do Atlético de Madrid, o grande rival do Real Madrid, emblema que Cristiano Ronaldo representou durante nove temporadas.

A União Internacional de Casas do Atlético Madrid lançou mesmo um comunicado a manifestar “repúdio” pela possibilidade da contratação do jogador do Manchester United. É referido que o português “representa a antítese dos valores que constituem a marca” do clube. “Dada a possibilidade da contratação de Cristiano Ronaldo ser algo mais do que um simples boato sem qualquer fundamento, manifestamos o nosso absoluto repúdio relativamente a uma hipotética incorporação do jogador no nosso clube, como já tínhamos declarado publicamente no dia 19 de Julho", pode ler-se no início do comunicado.

“Um jogador em franca decadência”

“O jogador mencionado representa a antítese dos valores que constituem a marca do Atlético Madrid, como o esforço, generosidade, simplicidade e humildade de quem quer defender os nossos valores”, pode ler-se no documento. “Mesmo partindo do princípio, apesar de não ser provável, que um jogador em franca decadência como Cristiano Ronaldo nos pudesse garantir um título, não aceitaríamos a sua contratação. O sentimento de pertença ao Atlético Madrid não é algo que esteja ao seu alcance, e jamais poderia alcançar reconhecimento no nosso clube. Por estes motivos, pedimos ao clube que rejeite a sua possível contratação, se é que em algum momento a tenham planeado”, termina.

A crescente polémica levou a que Enrique Cerezo, presidente do Atlético de Madrid viesse a público abordar a contratação do jogador. “Não sei quem inventou a história do Cristiano, mas é praticamente impossível que venha para o At. Madrid”, disse o dirigente, citado pelo programa El Partidazo. Além do Atlético de Madrid, também os alemães do Bayern de Munique e os ingleses do Chelsea recusaram a possível contratação de Cristiano Ronaldo. O jogador também já foi apontado aos italianos da Roma e ao Sporting. Em relação ao regresso a Portugal, o jogador chegou a dizer que tudo não passava de notícias falsas.

revelada origem do vírus da covid-19

Desde o início da pandemia que a origem do novo coronavírus tem sido um mistério e alimentado diversas discussões. Sendo que até existem teorias de que a covid-19 terá sido criada em laboratório. Agora, dois novos estudos colocam um ponto final no debate e avançam com aquela que dizem ser a origem da doença que ainda hoje deixa o mundo em estado de alerta.

De acordo com uma equipa de investigadores foram os animais vivos comercializados no mercado de Huanan, em Wuhan, China, que deram início à pandemia. Sendo que o coronavírus foi transmitido de animais para humanos em diversas ocasiões. Os especialistas salientam ainda que outras teorias relacionadas com a origem da covid-19 são altamente improváveis.

O primeiro trabalho, realizado por uma equipa da Universidade do Arizona, Estados Unidos da América, e outra da Scripps Research analisou o padrão geográfico dos casos da doença no primeiro mês do surto, em dezembro de 2019. Foi possível determinar os locais de quase todos os 174 casos identificados pela Organização Mundial de Saúde. Sendo que 155 estavam em Wuhan. Os casos foram agrupados ao redor do mercado de Huanan, acabando por se espalharem amplamente por Wuhan, uma cidade com perto de 11 milhões de habitantes. É ainda salientado que uma grande percentagem dos primeiros infetados com covid-19 não tinham estado recentemente no mercado de Wuhan, mas habitavam mais perto do local do que outras pessoas.

Especialistas salientam ainda que outras teorias relacionadas com a origem da covid-19 são altamente improváveis

Michael Worobey, mentor do estudo, refere que estes dados motram que o epicentro da pandemia foi o mercado. Com os fornecedores a ficarem doentes em primeiro lugar, seguindo-se uma cadeia de infeções entre a comunidade. Worobey refere ainda que a distribuição geográfica dos casos posteriores de covid-19, entre janeiro e fevereiro de 2020, revela que o vírus “realmente teve origem no mercado e que se espalhou a partir daí”.

Animais que transmitem a doença

Estes dados conduzem-nos a outra questão: quais os animais responsáveis pela transmissão da doença? Pois bem, o estudo contou ainda com a examinação de amostras de superfícies do mercado, como pisos e gaiolas. As amostras com resultado positivo para o vírus tendiam a vir de barracas que vendiam animais selvagens vivos. Como é o caso de raposas vermelhas, texugos e cães-guaxinins. Um mapa detalhado do mercado revela que as amostras positivas estavam associadas ao lado ocidental do mercado. Área na qual era cortada carne de animais abatidos ou comercializados animais vivos.

O segundo estudo revela que a pandemia terá tido origem em pelo menos duas infeções separadas de humanos que estiveram em contacto com animais no mercado. As análises mostram ainda que existiriam outras transmissões do vírus de animal para humano no mercado, sem que evoluíssem para casos de covid-19. É ainda realçado que os animais terão sido infetados com o vírus através de morcegos portadores da doença ou em quintas locais na China. “Para entender melhor a origem do SARS-CoV-2 é preciso perceber melhor os eventos a montante do mercado de Huanan, o que irá exigir estreita colaboração e cooperação internacional”, conclui Kristian Andersen, que paticipou em ambos os estudos. Os trabalhos foram publicados na revista Science.

31.7.22

paola saulino e o sexo oral a 400 homens que deixa modelo com dores no maxilar

Para falar de Paola Saulino é necessário recuar até 2016. Foi neste ano que se realizou, em Itália, um referendo sobre a reforma do senado. Com a modelo, que hoje faz grande sucesso com a comercialização de conteúdos para adultos na plataforma OnlyFans, a prometer sexo oral a todos os homens que votassem não. O não acabou por ganhar e Paola Saulino rapidamente veio a público dizer ser “uma mulher de palavra”.

Em 2017 teve início a tour de Paola Saulino por Itália. O início foi em Roma e a modelo efetuou sexo oral a 400 homens. Acabou por queixar-se de “dores no maxilar”, mas prometeu uma segunda digressão, desta vez no Reino Unido. E desenganem-se aqueles que acreditam que a relação com o sexo oral fica por aqui. É que a Paola Saulino prometeu sexo oral a todos os jogadores do Nápoles caso o clube conquistasse o campeonato italiano. Algo que acabou por não acontecer.

“Usada e humilhada” por jogador do Chelsea

Mais recentemente, Paola Saulino deu que falar devido a um caso com um jogador, cujo nome não foi revelado, dos ingleses do Chelsea. A modelo diz-se “usada e humilhada” depois do affair com o craque. “Conheci-o numa festa. Apresentou-se imediatamente. Honestamente, não tirou os olhos de mim”, conta ao Daily Star Sport. “Rimos muitos e passámos tempos maravilhosos juntos. Gostei muito dele. Adorava o seu cheiro e jeito de ser. Começou a beijar-me à frente de todas as pessoas e gostei”, acrescenta.

“Começamos a fazer sexo dentro de um carro e quando alguns amigos chegaram parámos. Fomos a uma festa numa discoteca e ele ficou bêbado. Durante o jantar, quis dar-me o seu número”, prossegue. “Costumava pedir-me nudes todos os dias”, revela. De acordo com Paola Saulino tudo chegou ao fim quando a modelo foi abordada, de forma abrupta, pelo agente do jogador num restaurante londrino. “Sempre que penso nisso ainda choro. Senti-me humilhada. Gostei muito dele”, lamenta. Agora, Paola Saulino está focada na carreira de actriz.

30.7.22

donna e’errico, a estrela de marés vivas acusada de ser velha para usar biquíni

Donna D’Errico faz parte de uma geração de actrizes sensuais que estiveram em destaque com os famosos fatos de banho vermelhos na série Marés Vivas. Agora, os tempos são outros. E aos 54 anos a actriz foi acusada de estar velha demais para usar biquíni e partilhar nas redes sociais fotos em trajes menores. Situação que levou Donna D’Errico a recorrer ao mundo virtual para deixar um desabafo.

“Algumas mulheres reclamaram do post de 4 de julho em que posei com um biquíni vermelho, branco e azul. Disseram que ‘deveria ter mais classe’ e que sou ‘velha demais para usar um biquíni’. A minha preferida são as acusações de ‘desesperada’. Vou dizer algo que pode surpreendê-los. Na verdade posso e vou literalmente usar o que quiser. E por falar nisso, aqui estou de biquíni, agachada em uma mesa de café”, partilhou no Instagram.

“Vou literalmente usar o que quiser”

Num passado recente, Donna D’Errico tinha atribuído a sua jovialidade à dieta vegana que adotou em 2013 e que mantém até aos dias de hoje. Algo que explicou em conversa com a Fox News. “Trouxe alguns bons benefícios. Como a pele mais saudável, uma digestão melhor, sono melhor. Mas não foi por isso que me tornei vegana. Faço isso pelos animais”, explicou.

29.7.22

erika diaz, a enfermeira acusada de usar farda inapropriada

Chama-se Erika Diaz, tem 22 anos e tinha tudo para ser apenas mais uma enfermeira espalhada pelo mundo. Só que a silhueta da jovem deu origem a uma polémica no mundo virtual. Isto porque Erika foi criticada por usar uma farda XS que foi considerada inapropriada. Algo que levou a enfermeira a defender-se com as curvas naturais.

“Por que usas a farda assim, é inapropriado”, foi o comentário que um utilizador deixou num vídeo partilhado no TikTok. No qual a jovem dos Texas, Estados Unidos da América, aparece com um macacão azul que evidencia a silhueta em forma de ampulheta. “Podes comprar um tamanho um pouco maior”, é outra das críticas feitas a Erika Diaz.

“Por que usas a farda assim, é inapropriado”

Tudo isto levou a jovem enfermeira a defender-se. “Algumas pessoas têm um problema com o meu corpo, não com a minha farda”, começa por dizer. “Sinto muito, mas quando vestes um tamanho XXS é difícil encontrar batas que te sirvam corretamente”, acrescenta. Revelando ainda que tem 1,70m de altura e 48,5 kgs.

“Quando vestes um tamanho XXS é difícil encontrar batas que te sirvam corretamente”

E as respostas não ficaram por aqui. Erika Diaz conta ainda que faz tudo para organizar dois empregos, trabalho voluntário e estudos. “É muito, mas ter um bom cronograma definido ajuda a maximizar o tempo. Estou dedicada à minha vida e à melhoria da dos outros. As opiniões de qualquer um são irrelevantes”, conclui.

28.7.22

descobre o truque de condução, desconhecido por muitos, que te irá ajudar a poupar muito dinheiro em combustível

O preço do combustível, seja ele gasolina ou gasóleo, continua bastante elevado. O que faz com que os truques de poupança de combustível nunca sejam demais. E aquele que se segue é desconhecido por muitos condutores. É verdade que não está disponível em todas as viaturas, mas pode ser extremamente útil em tempo de férias.

Existem vários carros que têm disponível a função cruise control que permite viajar a uma viagem constante e que tem como finalidade tornar a condução mais confortável. O que significa que estarás a evitar as frequentes acelerações e travagens. Sendo que tudo isto se traduz numa poupança de combustível. Esta dica é bastante útil numa altura de férias em que muitas viagens são efectuadas em auto-estradas. Se recorreres ao cruise control e viajares um pouco abaixo do limite de velocidade irás ajudar o carro a maximizar a eficiência do combustível.

Cuidados que deverás ter com o cruise control

Por outro lado, exigem-se alguns cuidados. O cruise control nunca deverá ser utilizado quando manter uma velocidade constante é algo impraticável. Deverás ter também em mente a qualidade do piso. E não recorras a esta opção quando viajas pela noite dentro ou se estiveres a sentir-te cansado. Pois é algo que poderá ajudar a que adormeças ao volante. Algo relacionado com o facto de não ser necessário manter os pés nos pedais.

demi moore garante que não volta a rapar o cabelo para um filme

Passaram quase 30 anos desde que Demi Moore protagonizou G.I. Jane – Até ao Limite. O filme de 1997 realizado por Ridley Scott ficar marcado pela cena em que a actriz, hoje com 60 anos, rapa o cabelo. A longa-metragem foi um fracasso, Demi Moore ganhou o prémio de pior actriz e passados estes anos a atriz garante que não volta a rapar o cabelo para um personagem.

Foi em conversa com a People que Demi Moore, em tempos vista como uma actriz com bastante versatilidade em mudanças de visual, referiu que prefere papéis com poucas alterações a nível capilar. “É stressante ter alguém a mexer no meu cabelo. Se não for a lado nenhum nem uso secador. E não o lavo com muita frequência”, começa por dizer. Referindo que corta as pontas para manter os cabelos saudáveis. “O resto [dos cuidados] vem de dentro para fora. Tens de comer bem, essas coisas todas”, acrescenta.

“Não tenho nada a provar”

Demi Moore refere ainda que os 40 anos de carreira fazem com que não sinta “pressão” para se comprometer com um personagem como aconteceu no filme em que rapou o cabelo. “Agora que estou mais velha sei que não tenho nada a provar. Então, se realmente precisarem de um cabelo diferente, podem dar-me uma peruca”, conta. A atriz defende ainda que os cabelos compridos são uma espécie de posicionamento. “Lembro-me de ouvir dizer que quando as mulheres envelhecem não devem ter cabelos compridos. E isso marcou-me”, recorda. “Não me sinto confortável com regras que parecem não ter nenhum significado ou justificação real”, conclui.

Visual de Demi Moore associado a momento polémico dos Óscares

Apesar de ter ficado bastante abaixo do previsto, G.I. Jane – Até ao Limite fica associado à ultima edição dos Óscares. Foi o filme, e o visual de Demi Moore, que inspiraram Chris Rock a fazer uma piada sobre o visual de Jada Pinkett Smith, algo que culminou com Will Smith a agredir o actor.

27.7.22

fenella fox, a modelo que não usa desodorizante por amar o cheiro a suor

Com o forte calor que se tem sentido existem muitas pessoas que acabam por transpirar um pouco mais. O que leva a que tomem mais duches e caprichem um pouco mais no uso do desodorizante. Mas este não é o caso de Fenella Fox. A modelo britânica, de 28 anos, que é um sucesso no OnlyFans, plataforma na qual comercializa conteúdos para adultos, não tem qualquer receio em dizer que não usa desodorizante. Isto porque adora o cheiro do suor.

Já passaram cinco anos desde que Fenella Fox começou a deixar crescer os pelos das axilas e desde então que praticamente não usa desodorizante. Aliás, a modelo diz mesmo que este detalhe é um ponto de interesse (e excitação) para muitos dos fãs. “Amo o cheiro natural das minhas axilas e raramente uso desodorizante. Acredito que a nossa dieta e estilo de vida desempenham um papel importante na forma como cheiramos naturalmente”, começa por dizer ao Daily Star. “Gostaria que mais pessoas aprendessem a abraçar seu odor natural em vez de mascará-lo com aromas não naturais. Muitos perfumes e desodorizantes têm um cheiro pouco atraente para mim”, acrescenta.

“Amo o cheiro natural das minhas axilas e raramente uso desodorizante”

A modelo já recorreu ao Twitter para fazer um questionário aos fãs, querendo saber se tinham fetiche por suor. 40% dos 500 votantes responderam que sim. 18% disse talvez/não tenho a certeza. Outros foram mais longe e deixaram comentários com opiniões. “Sim, definitivamente. Gosto de cheirar, lamber e beijar as axilas suadas e peludas das mulheres. Elas são tão gostosas”, disse um fã de Fenella Fox. A modelo, que ganhou fama quando deixou de depilar as axilas, ganhou 296 mil euros em dois euros no OnlyFans.