26.4.21

descobre como a pandemia acelera a forma como os casais vivem as relações

Quando iniciam uma nova relação, os casais ficam desejosos que a outra pessoa diga “amo-te” e declare assim o amor que sente. Chegar a este momento nem sempre foi fácil. Ou melhor, não era. É que a pandemia de coronavírus veio mudar este cenário. Agora, como prova um estudo, é tudo muito mais rápido nas relações. E bastam poucos meses para que o amor seja declarado. 

  

Um estudo com 1500 adultos descobriu que 53% dos inquiridos, que estão numa nova relação, precisou de muito menos tempo do que o normal para desenvolver o amor. 21% dos casais já estava a viver junto depois de dois meses de namoro. Por sua vez, um quarto dos casais já conhecia os pais da nova companheira. Quatro meses depois do início do namoro, 40% dos casais já tinha planos para férias românticas. Ainda assim, 78%, daqueles que já vivem com a outra pessoa, assume que não teria feito tudo tão depressa se não fosse a covid-19. Bem como 62%, dos que já disseram ‘amo-te’, também refere que não teria agido assim antes da pandemia. 

 

43% dos inquiridos refere que atingiu diversos marcos muito mais cedo do que em relacionamentos mantidos antes da pandemia. Dois terços assumem que o confinamento teve um impacto na relação e 72% revela que foi algo que os tornou mais fortes. Por sua vez, 52% das pessoas entrevistas confessa que terminou uma relação ao longo dos últimos 18 meses. Há ainda um dado relacionado com os solteiros. 33% revela que pretende divertir-se mais quando tudo voltar ao normal. Este estudo foi encomendado pelo serviço de streaming  NOW. 

Sem comentários:

Publicar um comentário