22.3.21

jiangsu fc sagra-se campeão chinês pela primeira vez e acaba com o clube

Não seria a grande aposta dos adeptos, mas o Jiangsu FC conseguiu sagrar-se campeão chinês pela primeira vez na história. Agora, três meses depois do feito histórico e a pouco tempo do arranque da Liga dos Campeões da Ásia, o emblema treinado por Cosmin Olaroiu anuncia o final do clube. Trata-se de um “encerrar operações” que tem efeitos imediatos. “Embora estejamos relutantes em nos separar dos jogadores que tanto nos honraram e foram solidário com o clube, temos lamentavelmente que fazer este anúncio”, refere o emblema através de comunicado. “A partir de hoje, o Jiangsu Football Club cessa as operações”, acrescenta o documento. 

 

Com sede em Nanjing, no leste da China, o Jiangsu é detido pelo grupo Suning, que é também proprietário dos italianos do Inter de Milão. Ao longo dos últimos meses, o grupo tentou encontrar comprador para o clube que conta com uma dívida de 75 milhões de euros. Esta surpreendente decisão também se aplica à talentosa equipa feminina e escalões de formação do Jiangsu. 

 

Alex Teixeira já abandonou o clube e Inter apanhado na crise 

 

De acordo com a agência noticiosa Xinhua, o clube tem ordenados em atraso. Sendo que também está por pagar o prémio referente à conquista do título. Algo que levou a que o treinador e o jogador brasileiro Alex Teixeira, um dos craques da equipa, já tenham rescindido os contratos com o Jiangsu. No plantel destacam-se ainda nomes como o brasileiro Miranda, o italiano Éder e o ganês Wakaso. 

 

Zhang Jindong, um dos homens mais ricos da Ásia e dono do grupo Suning, já tinha feito saber que iria verificar-se uma redução nos negócios que não estão relacionados com o retalho. Algo que faz com que o grupo também queira vender a participação maioritária que tem no Inter e que foi comprada em 2016. Esta nova aposta está relacionada com a quebra nas receitas devido à covid-19. 

 

Tentativa de evitar crise maior no futebol chinês 

 

O Jiangsu é assim o segundo clube chinês a ficar de fora da Liga dos Campeões da Ásia, que tem início marcado para Abril. Isto depois de o Shandong Luneng ter sido expulso da competição devido a salários em atraso. A crise do futebol chinês, que era visto como um El Dorado para os jogadores, poderá não ficar por aqui. O Tianjin Teda, que contratou o brasileiro Tiquinho Soares ao Porto, também poderá acabar. No ano passado o Tianjin Tianhai também já tinha falido. De modo a tentar evitar o colapso total, existe um teto salarial para a época de 2021. Que limita as despesas dos clubes a 75 milhões por ano.  

Sem comentários:

Publicar um comentário