16.2.21

benfica cada vez mais perto de se juntar à lista dos 6 projectos desportivos de milhões que não correram bem

Esta época do Benfica começou com grande expectativa. Jorge Jesus estava de regresso a Portugal para ser o rosto maior de um projecto de milhões que tinha tudo para empolgar os exigentes adeptos benfiquistas. O treinador prometia meter a equipa a jogar o triplo e na Luz voltava a falar-se no sonho de conquistar a Liga dos Campeões.  

Quando a temporada vai a meio, muitos objectivos estão já por alcançar. O primeiro balde de água fria foi a derrota com o PAOK, que fez com que o Benfica ficasse de fora da Liga dos Campeões. A Taça da Liga também foi perdida, tal como a Supertaça Cândido de Oliveira e no campeonato os encarnados estão num modesto quarto lugar. A isto juntam-se exibições muito fracas que estão longe de encantar os adeptos. Tudo isto depois de um forte investimento de largos milhões. 

 

Benfica investiu 106 milhões em reforços 

 

Para fazer regressar Jorge Jesus a Portugal, o Benfica foi obrigado a pagar um milhão de euros ao Flamengo. A este valor juntam-se 24 milhões para contratar Darwin Núñez. Everton custou 20 e Pedrinho 18. Lucas Waldschmidt 15 e Otamendi outros 15, como parte do negócio da venda de Rúben Dias para o Manchester City. Lucas Veríssimo, o reforço mais recente, custou 6,5 milhões de euros. Por sua vez, Gilberto teve um custo de 3 milhões de euros. O empréstimo de Todibo (já abandonou o clube) implicou uma taxa de 2 milhões de euros e Helton Leite 1,5 milhões. 

 

Ao todo, e de acordo com valores que constam no site Transfermarkt, o Benfica investiu 106 milhões de euros na construção do plantel. Deste valor não fazem parte prémios de assinatura nem ordenados. São apenas verbas relacionadas com contratações. Olhando para o actual cenário do clube, e com três objectivos já perdidos, o Benfica arrisca-se a entrar para a lista de projetos de milhões que acabaram por correr mal. 

 

Chelsea 2020/21 

Tal como o Benfica, também o Chelsea investiu forte nesta temporada. O clube londrino gastou 247 milhões em reforços como Havertz, Werner, ChilwellZiyechMendy e Thiago Silva. Os reforços estão longe de convencer, a equipa está longe de conquistar os adeptos e o treinador Frank Lampard já foi despedido. Tuchel foi o treinador escolhido para tentar recuperar a equipa.

 

Paris Saint-Germain 2017/18 

Todos estão recordados dos 222 milhões de euros que o clube francês pagou ao Barcelona para contratar Neymar. Foi também neste ano que chegou Mbappé, que custou 145 milhões. Chegaram ainda outros jogadores com o objectivo de conquistar a Champions. E de recuperar o título francês perdido para o Mónaco. É certo que o PSG conquistou o campeonato francês, mas desiludiu nas competições europeias. 

 

Manchester City 2016/17 

Este foi o ano em que Pep Guardiola chegou a Manchester para liderar um projecto que queria ir mais além do domínio na Premier League. O objectivo era conquistar a Europa do futebol. Foram gastos 215 milhões para construir uma grande equipa. No campeonato ficaram em terceiro e foram eliminados, de forma precoce, da Champions pelo Mónaco. Também foram eliminados da Taça de Inglaterra e da Taça da Liga. Conclusão, um ano sem qualquer conquista. 

 

Manchester United 2014/15 e 2017/18 

O Manchester United tem feito de tudo para recuperar o domínio do futebol inglês, ainda que sem grande sucesso. Em 2014/15 o clube apostou em Louis Van Gaal e foram gastos 195,35 milhões em reforços como Di María e Falcao. Isto num ano em que o clube não participaria nas competições europeias. Acabou a época em quarto e eliminado de todas as taças internas. 

 

José Mourinho conquistou a Liga Europa pelo clube em 2016/17. Na época seguinte investiram-se 198,4 milhões em reforços. LukakuMaticLindelof e Alexis Sánchez foram os mais sonantes. No final de contas, perdeu tudo, desde a Supertaça Europeia ao campeonato, passando pelas taças e competições europeias. 

 

Real Madrid 2009/10 

Este foi o ano em que Cristiano Ronaldo chegou a Madrid. Bem como Kaká e Benzema, só para dar alguns exemplos de um projecto que teve um custo de 258,5 milhões em reforços. Fazendo as contas aos troféus conquistados encontramos um redondo zero. 

 

Barcelona 2000/01 

Luís Figo acabava de trocar o Barcelona pelo Real Madrid. O clube da Catalunha perdia o capitão e queria fazer frente ao eterno rival. Foram gastos 97,10 milhões em reforços como Overmars e Petit, então estrelas do Arsenal. O clube acabou o campeonato em quarto, ficou em terceiro na fase de grupos da Champions e na então Taça EUFA foi eliminado pelo Liverpool. 

Sem comentários:

Publicar um comentário