20.2.21

coronavírus: será mesmo boa ideia usar duas máscaras em simultâneo?

Volta e meia surgem imagens de pessoas que se protegem contra o coronavírus com a utilização simultânea de duas máscaras de protecção individual. Sendo que este tema até já teve honra de destaque no Today Show, sendo abordado por Anthony Fauci, médico que é o principal conselheiro clínico de Joe Biden, o novo presidente norte-americano. E será que estamos perante uma boa ideia? Para o especialista, sim.  

De acordo com Anthony Fauci, é algo “que faz sentido”, sendo até “provável” que signifique uma maior protecção contra o contágio da covid-19. Esta opinião é igualmente defendida por Firas Zabaneh, director de prevenção e controle de infecção no Hospital Houston Methodist, no Texas, Estados Unidos da América. O profissional de saúde realça o facto de estar a ser acrescentada uma camada extra de protecção. O que significa que existirá um número ainda mais reduzido de partículas a passar pelas máscaras. 

 

Quando usar duas máscaras em simultâneo 

 

Firas Zabaneh salienta que “usar uma máscara de boa qualidade devidamente ajustada à face feita de múltiplas camadas e de materiais adequados garante a devida protecção”. O médico explica ainda qual o cenário em que recomenda o uso de duas máscaras em simultâneo. “Para fins de controle de fonte, qualquer pessoa que está a usar uma máscara com uma válvula de expiração (incluindo respiradores N95 com válvulas de expiração) deve aplicar uma máscara secundária em cima da primeira”, diz. “Tal destina-se a proporcionar protecção para os outros se o utilizador da máscara com a válvula de expiração estiver infectado com o SARS-CoV-2", termina. 

 

Sensação de falsa segurança 

 

Ainda assim, é salientado o facto de que o uso de duas máscaras poderá resultar numa sensação de segurança errada e desfasada da realidade. Ou seja, se optar por duas máscaras de qualidade duvidosa, estará a fazer algo que poderá ter poucos resultados práticos. Além disso, se a colocação for errada, as duas máscaras podem até aumentar o risco de contágio. Algo que acontece através de fugas pelas extremidades. 

 

Nem todos recomendam o uso de duas máscaras 

 

Também existe quem seja contra esta opção. Este é o caso de Scott Schiffres, professor e investigador da Binghamton University Mechanical Engineering, situada em Nova Iorque, Estados Unidos da América. Que defende que o uso de duas máscaras cirúrgicas não é melhor do que somente uma. “Não é a capacidade de filtrar que define a performance, mas o ajuste ao rosto, ou seja, a quantidade de ar que escapa”, refere. 

 

“O material da máscara cirúrgica em si é muito bom (> 95% em 0,1 um), mas na prática cerca de 20% do ar vai deslizar entre a máscara e o selo da máscara, como tal a eficiência é de cerca de 80%”, explica. “Se colocar duas máscaras cirúrgicas uma em cima da outra, mais ar será realmente vazado em torno do selo à medida que a resistência através das máscaras aumenta, e ainda menos ar será filtrado, tornando esta dupla proteção prejudicial”, prossegue. 

 

Scott Schiffres desaconselha ainda que combines uma máscara cirúrgica com outra de algodão. “Os materiais de algodão são filtros modestos em comparação com as máscaras cirúrgicas”, argumenta. “Por isso combinar uma máscara de algodão com uma máscara cirúrgica KN95 pode aumentar a resistência à respiração e provocar um maior constrangimento do ar”, diz. “O maior importante é não ter uma falsa sensação de confiança na filtração da máscara, sendo que a eficácia desta reside no ajustamento perfeito ao rosto”, conclui. 

Sem comentários:

Enviar um comentário