21.4.20

sarah grey, a médica tatuada que nem todos querem ver no combate ao coronavírus

Acho que nunca poderemos agradecer o suficiente aos profissionais de saúde que estão a dar tudo no combate à pandemia de coronavírus. É isso que tem feito Sarah Gray, que poderia ser apenas mais uma médica. Só que existe um detalhe que faz toda a diferença. Esta profissional de saúde australiana é conhecida como a médica mais tatuada do mundo. Nas redes sociais, Sarah tem dado a conhecer as suas rotinas ao longo destas semanas.

Por exemplo, revelou ter sido chamada para fazer o turno da noite depois de ter passado o dia inteiro a trabalhar. É nesta rede social que também faz alguns apelos. "A todas as pessoas que estão a trabalhar na linha da frente nos cuidados de saúde durante esta pandemia, obrigado", começa por escrever. "Nós estamos a trabalhar para vos ajudar, por favor fiquem em casa para nos ajudar", pede a cirurgiã ortopédica. Salientando ainda que é muito importante, nesta fase menos positiva, "ser bondoso" e "sorrir".

Existem ainda mais apelos e desabafos da médica. "Um sorriso pode curar 1000 feridas", é um exemplo. "Todos estão a lutar as próprias batalhas. Se todos fizermos o que é correcto, ficarmos em casa, formos positivos e ajudarmos os outros, iremos vencer o vírus", garante. Estas palavras têm dado origem a muitos comentários positivos à médica. Mas também existem críticas. Que estão relacionadas com a imagem de Sarah Gray.

Sarah Gray fez a primeira tatuagem aos 16 anos. Já lá vão mais de 300 horas a ser tatuada, tendo o corpo quase todo tatuado. Diz ser uma "coleccionadora de arte" e tem sido alvo de muitas críticas, por parte de pessoas que a acusam de não ter imagem de médica. Algo que não a incomoda minimamente. "Se tiveres confiança e competência no que fazes, não importa a imagem que tens", revelou ao jornal Sunrise.





Fotos: Jennifer Wagner e Kyra Hayford

Sem comentários:

Publicar um comentário