20.4.20

família casio g-shock volta a aumentar

No que ao jornalismo diz respeito, nem sempre devemos utilizar o verbo voltar num título. Porque significa que não é nada de novo. Existem excepções, como é o caso de um novo ataque de um serial killer. E este será, certamente, o exemplo mais dramático. Depois, existem outros casos em que o verbo fica muito bem. Como é o caso de Casio G-Shock. Porque nunca será demais escrever que a gama volta a aumentar. E por este momento já deve ter dado para perceber que sou fã da marca e colecção.

A GMW-B5000, linha que se destaca pelos modelos metálicos, passa a contar com o B5000CS. Nada menos do que uma peça gravada a laser, que conta com um padrão em redes. E se esta imagem nos remete imediatamente para 2020, existem detalhes que nos fazem voltar aos anos 80. É que apesar das novidades, o B5000CS mantém-se fiel aos padrões da G-Shock. Ou seja, estamos perante um relógio muito resistente e com um design que nos leva a recuar até aos anos 80. Até porque foi em 1983 que foi lançado o primeiro modelo Casio G-Shock. A peça mais recente conta com uma caixa metálica que protege diversas tecnologias. Como recepção de ondas rádio para um perfeito funcionamento da cronometragem. Bem como tecnologia Bluetooth para uma fácil sincronização com smartphones.

Com uma caixa de 50mm, o novo G-Shock é resistente ao choque e tem uma resistência à água até 200 metros de profundidade. Conta ainda com um mostrador STN LCS, calendário e cinco alarmes diários. Só falta mesmo falar do preço e esse, ronda os 730 euros.


Sem comentários:

Publicar um comentário