29.1.21

Prepara-te que vem aí uma overdose de sexo

Olhando para 2020, podemos concluir que foi um ano de muitas privações. Algo que acaba por ser uma consequência natural da pandemia mundial de coronavírus, que levou a que milhões de pessoas estivessem fechadas em casa. E quando muitos acreditavam que o início deste ano traria algo diferente, eis que surgem mais medidas que levam ao isolamento social. Algo que tem tido forte impacto na sexualidade e que poderá mesmo conduzir a uma overdose de sexo.  

No que ao sexo diz respeito, existem muitos detalhes a ter em conta e que são salientados por diversos especialistas. Por exemplo, existem muitos casos de pessoas que vão acumulando desejo sexual. Há ainda o exemplo de casais que foram obrigados a passar muito tempo juntos e que acabaram por perder um pouco do desejo que sentiram em tempos. E estes são apenas dois exemplos do impacto que a covid-19 tem tido na vida sexual. 

 

Overdose de sexo terá o momento alto em 2024 

 

E são cenários como estes que levam Nicholas Christakis, epidemiologista da Universidade de Yale, nos Estados Unidos da América, a prever que o mundo irá deparar-se como uma “overdose de sexo”. O especialista salienta que esta será uma reacção ao final da pandemia que ainda domina o mundo. E faz mesmo uma comparação com aquilo que aconteceu em 1920, dois anos depois do mundo ter lidado com a mortífera gripe espanhola. 

  

“Durante as epidemias aumenta a religiosidade, as pessoas tornam-se mais abstémias, poupam dinheiro, ficam avessas ao risco (…) As pessoas acabarão por procurar implacavelmente as interações sexuais”, referiu em entrevista ao jornal The Guardian. Nicholas Christakis prevê ainda que a referida overdose de sexo tenha o seu ponto alto em 2024, algo que bate certo com outros estudos recentes. Muitos destes realçam ainda que existirá um interesse por fetiches mais intensos, como é o caso do gangbang (sexo em grupo em que uma pessoa é penetrada por todas as outras). 

Sem comentários:

Publicar um comentário