15.7.20

será que vives com a tua alma gémea? acredita que a resposta deve ser não

Encontrei a minha alma gémea. Isto é aquilo que todas as pessoas dizem em relação aquela com quem decidiram passar o resto das suas vidas. E digo isto porque acredito que este é o modo de pensar de uma relação duradoura. Ninguém (penso eu) casa com alguém a pensar que será algo para durar pouco tempo.

Adiante, eu digo que tive a sorte de encontrar a minha alma gémea. Tu dirás o mesmo. E quase todas as pessoas que por aqui passam vão pensar da mesma forma. Já Luiz Hanns pensa de outra forma. O autor do livro A Equação no Casamento - O que pode (ou não) ser mudado na sua relação defende que a maioria dos casais não é composta por almas gémeas. O que não tem nada de errado, para não te assustares.

“Complementaridade psicológica, consenso sobre várias áreas, atracção, stress indvidual que contamina o casamento, o quanto cada um investe ou não no projecto e competências para o o convívio são pontos que têm de ser alinhados pelo casal. A maioria dos casais não tem tudo isto”, defende, em conversa com o Universa.

Ainda assim, o autor refere que tudo isto pode ser trabalhado e não é sinal de alarme. “A maioria dos casais não tem uma complementaridade ideal, não é alma gémea”, defende. Salientado que pode existir sintonia psicológico e não no campo das fantasias sexuais. Por isso, já sabes. Não precisas de ficar preocupado caso não exista sintonia em tudo. Ainda assim, é importante que os pontos fundamentais sejam partilhados por ambos. E aqui incluo planos para o futuro, desejo (ou não) de ter filhos e por aí fora.

Sem comentários:

Publicar um comentário