16.8.19

o jogador de futebol que sobrevive a terramoto e atendado

Quem acompanha o futebol sabe que por esta altura o destaque vai para as transferências milionários que dominam o futebol europeu. Ainda ninguém esqueceu os 127,2 milhões de euros que o Atlético de Madrid pagou ao Benfica por João Félix. Ou os 87 milhões que fizeram de Harry Maguire o defesa mais caro da história do futebol. O que faz com que outros negócios, ainda que surpreendentes, passem despercebidos.

E um desses negócios envolve Shinji Kagawa. Para quem não o conhece, trata-se de um dos melhores jogadores japoneses da actualidade. Que acaba de trocar o Borussia Dortmund pelo Saragoça. Ou seja, troca um dos melhores campeonatos europeus e a Liga dos Campeões pela segunda divisão espanhola. Se não acompanhas o futebol, é como trocares o iPhone mais recente do mercado por um Nokia 3310. E numa era de milhões, trata-se de um negócio de tostões. Pois o médio, de 30 anos, custou apenas 6 milhões de euros.

Escrevo sobre Kagawa, que também já passou pelo Manchester United, não apenas pela transferência surpreendente. Mas porque é visto como um sobrevivente do mundo do futebol. Isto porque já sobreviveu a um terramoto e a um atentado terrorista. O primeiro incidente aconteceu em Kobe, no Japão, em 1995, quando tinha apenas 6 anos.

“Estava a dormir e o meu pai entrou pelo meu quarto para impedir que uma estante me caísse em cima. A minha casa não sofreu muitos danos, mas recordo-me que demorou muito tempo até voltarmos a ter luz e gás”, conta. A família do jogador acabou por sobreviver, mas o sismo de 6,9 na escala de Richter roubou a vida a 6434 pessoas.

O atentado terrorista aconteceu mais recentemente, em 2017, e foi muito falado na época. Kagawa era um dos jogadores do Borussia Dortmund que estava no autocarro da equipa alemã, que foi alvo de um atentado terrorista antes de um jogo da Liga dos Campeões. Situação que acabou por deixar marcas na nova estrela do Saragoça. “Ainda tenho tenho medo de entrar em autocarros, às vezes tenho pesadelos e revivo aquele momento”, diz. Agora, segue-se a aventura em Espanha.

Sem comentários:

Publicar um comentário