5.8.19

vamos lá falar da parte 4 de la casa de papel (com spoilers como se não houvesse amanhã)

Já tinha avisado no título do texto e volto a dizer: este textos está cheio de spoilers. Por isso, se ainda não viste a Parte 3 de La Casa de Papel, é melhor não leres as próximas palavras. Se já viste, talvez tenhas as mesmas dúvidas do que eu e tantas outras pessoas. Como referi num texto anterior, não fiquei totalmente satisfeito com a Parte 3 de uma série que adoro. Ainda assim, considero que o último episódio é o melhor e deixa muitas perguntas no ar.

Nairóbi: morreu ou não?


Nas primeiras duas partes já tinha algum destaque. Mas o protagonismo de Nairóbi aumentou muito na Parte 3. No último episódio é possível ver a personagem a ser baleada por um atirador furtivo depois de Sierra usar o seu filho para enfraquecer Nairóbi. Tal como defendi em relação a Berlim, acho que faz sentido que morra. Até pelo impacto que terá nos restantes personagens.

Professor: deixou de ser o homem que conhecemos? E Lisboa?


A principal característica do professor é a quase total ausência de sentimentos no momento de tomar decisões. Algo que faz com que seja brilhante a executar planos. Mesmo na Parte 3 revela este lado ao dizer a Lisboa que é o elo mais fraco do plano. Por isso é que não gostei da sua reacção à suposta morte da amante. Para mim não faz sentido que um homem tão racional não pondere que estejam a simular a morte de alguém capturado. Até porque, se assim fosse, Rio não estaria já morto? Até porque ninguém (do ponto de vista público) sabia que tinha sido preso.

O final da Parte 3 dá a conhecer um Professor mais sentimental e menos racional. E o que estas pessoas querem? Vingança. Normalmente sem razão e com as coisas a correrem quase sempre mal. Estou curioso para saber se o Professor volta a ser o homem que era ou se estaremos perante um novo homem que poderá enfraquecer (e muito) o grupo.

Nesta equação entra ainda Lisboa. Irá ceder e ajudar os antigos colegas, cedendo eventualmente a uma pressão maior exercida pelo homem que sempre a amou? Ou irá manter-se fiel ao plano e ao amor que sente pelo professor. Numa teoria ainda mais louca. Será que uma eventual Parte 5 colocará Lisboa numa situação semelhante à de Rio?

Tatiana: O que virá dali? E a refém misteriosa?


Na Parte 3, nas viagens temporais em que vemos Berlim, fala-se muito de Tatiana, a mulher que o irmão do professor amava. E com quem fez muitos assaltos. Passei os 8 episódios à espera que se revelasse fundamental em algo. Isso não aconteceu. Acredito que será uma das chaves para o que aí vem.




Existe a teoria de que será a mulher desta imagem. Que se infiltrou nos reféns. Caso não seja, fica no ar a eventual importância desta mulher. Que teve direito a ser focada na Parte 3, sem que dissesse uma palavra. Como se fosse um daqueles momentos em que querem que as pessoas não se esqueçam da cara porque terá relevo no futuro.

Maior destaque para os novos assaltantes e para o mítico Arturito?


Mónica e Raquel passaram a fazer parte dos assaltantes. E com pouco destaque. Raquel (Lisboa) ganha mais espaço com a detenção, mas Mónica (Estocolmo) pouco ou nada fala. Excepto naquele intenso momento de reencontro com Arturito. E por falar nele, acredito que será uma das surpresas da Parte 4. A estes juntam-se Bogotá e Marselha, também sem grande destaque. Será que isto muda? Resta Palermo, para quem olho como uma “cópia” de Berlim. A única explicação que encontro para isto é o amor que sentia por Berlim, algo que pode levar a que queria copiá-lo ao máximo. Numa espécie de missão de continuidade da sua obra.

Acaba aqui?


Esta é uma dúvida que irá sempre existir a cada duas partes. Será que tudo acaba com a Parte 4? Acredito que La Casa de Papel, ao estilo de Prison Break, é uma série com uma curta duração de vida. Por causa da temática, que se esgota com facilidade. Mas tendo em conta o estrondoso sucesso da Parte 3, acredito que a próxima parte não será a última.

Sem comentários:

Publicar um comentário