3.2.17

os radares são como as vacas

As estradas têm cada vez mais radares. Pelos aquelas que percorro no percurso casa-trabalho-casa. Devo cruzar-me com, mais ou menos, dez radares diariamente. Todos identificados. Alguns colocados em locais onde é mais fácil ser multado mas todos assinalados de modo a que os condutores não se possam queixar.

Olho para estes radares como as vacas. Existem vacas que estão cercadas por vedações eléctricas. E que costumam apanhar alguns choques. Poucos. Quando isso acontece os donos desligam as vedações, que por norma são muito mais baixas do que as outras. Fenómeno com o qual me deparei numa viagem aos Açores. E na altura explicaram-me que o choque faz com que não se voltem a aproximar das vedações.

Associo este fenómeno aos radares. Porque acho que os condutores também só aprendem com “choques”, leia-se multas. Não sei se os radares já estão todos em funcionamento. Não sei se vão estar. Mas o medo da multa, associado à pontuação da carta, leva a que as pessoas moderem a velocidade da condução. Que passem a respeitar aquilo que ignoravam antes de uma multa.

Sem comentários:

Publicar um comentário