10.1.20

a prova de que a vida de treinador não é nada fácil

No futebol o treinador é quase sempre o elo mais fraco. E o primeiro a abandonar o barco. É verdade que são os maiores quando estão a ganhar. Mas assim que as coisas começam a correr mal... é mais fácil despedir o treinador (mesmo que não seja o culpado) do que renovar uma equipa. Ou colocar em causa o desempenho dos dirigentes.

Mas essa conversa fica para outra oportunidade. Vou apenas centrar-me num acontecimento caricato que envolve o cargo de treinador e uma equipa de que provavelmente nunca ouviste falar. Estou a referir-me aos australianos Newcastle Jets, que ocupa o último lugar da A-League, o principal campeonato daquele país.

Pois bem, Ernie Merrick era o treinador dessa equipa. E digo era porque entretanto foi despedido, não resistindo aos maus resultados da equipa. Mas o mais curioso não é isto. É o que aconteceu ao clube, no momento em que estava a perder por 0-3 no campo do Melbourne Victory. E numa altura em que o jogo ainda não tinha terminado. Acabou por ficar 0-4.

Assim que foi marcado o terceiro golo, o Newcastle Jets começou a receber candidaturas de treinadores para ocupar o lugar de Ernie Merrick. Que acabou por ser despedido. “Depois do terceiro golo, recebemos seis currículos. Parece-me de mau gosto fazê-lo durante o jogo, mas foi o que fizeram alguns agentes”, conta Lawrie McKinna, dirigente do clube australiano.

A estes seis, juntaram-se mais uns quantos no dia seguinte ao jogo. “Chegaram mais dez”, refere o dirigente. “Precisamos de alguém que acrescente algo, que tenha historial e que venha pelas razões certas”, acrescenta. A título de curiosidade, uma das candidaturas (do dia seguinte ao jogo) é de Sven-Goran Eriksson. Sim, esse mesmo que estás a pensar. O treinador sueco que passou pelo Benfica com grande sucesso.

Sem comentários:

Publicar um comentário