15.11.18

a amizade é como um peido

É comum ouvir-se dizer, meio em tom de brincadeira, meio a falar a sério que "o amor é como um peido, se for forçado vai dar merda". A frase tem o seu quê de piada, mas também de verdade. E posso trocar amor por amizade. Ou por outra coisa qualquer, pois aquilo que é forçado nunca dá bom resultado. Pode ser a curto prazo, a médio ou num futuro mais distante. Mas é certo que acabará por dar merda. Ou por fazer uma pessoa muito infeliz pois faz os possíveis para aguentar que não exista confusão.

Se isto já me faz confusão no amor, devo dizer que nas relações de amizade ainda mais. Não percebo o motivo pelo qual alguém quer competir com outra pessoa pelo posto de melhor amigo. E digo isto porque entendo as relações de amizade como algo que surge naturalmente. No meu caso, aqueles que considero os meus grandes amigos (e são muito poucos) ganharam esse papel de destaque na minha vida pelo que são e não pelo que forçaram. Aliás, até não gostei de conhecer um daqueles que hoje é dos meus grandes amigos. E acho que a amizade é isso mesmo.

Não compreendo como é que uma pessoa - se for adulta ainda pior - olha para os comportamentos que dois amigos têm e começa a tentar reproduzir os mesmos, e se possível tentar fazer algo mais, com uma dessas pessoas. Isto não faz qualquer sentido. E por mais que tente, não encontro uma explicação que me leve a compreender minimamente o porquê de um comportamento destes. Mas tenho que voltar à frase inicial pois não tenho dúvidas de que acabará por dar merda.

As coisas são como são. Ninguém gosta mais de alguém por se obrigar a isso. Ninguém é mais amigo de ninguém por se obrigar a isso. Ou acontece de forma natural ou não passa de algo que, mais cedo ou mais tarde, acabará por ser insuportável para uma das pessoas ou mesmo para as duas.

Sem comentários:

Publicar um comentário