13.8.16

não existe obrigação mas...

Os incêndios têm avançado sobre tudo e sobre todos, colocando diversas famílias em risco, roubando a vida a algumas pessoas e deixando muitas outras sem nada. Por exemplo, só na Madeira são três mortos e mil pessoas desalojadas. Este drama tem emocionado muitas pessoas e algumas figuras públicas têm ajudado, ou com dinheiro ou com a promessa de realização de espectáculos cuja receite reverte na totalidade para os bombeiros ou para as vítimas dos incêndios.

Uma das pessoas mais faladas neste sentido foi Cristiano Ronaldo, que disponibilizou ajuda financeira para "suavizar" os danos na ilha da Madeira. Várias pessoas dizem que não faz mais do que a sua obrigação. Não penso assim. É certo que ganha quase 80 milhões ao ano e que nasceu naquela ilha mas isso não faz com que seja uma obrigação. Acho que é mais um dever moral que depende sempre de cada um. Até porque o jogador não é o único rico deste País. Muitos outros poderiam ajudar mas não o fazem. Seja por que motivo for. E isso não pode ser criticado. Pelo menos no sentido de uma obrigação que não se realizou.

Mas, como disse. Acho que lhe fica bem. Tal como o gesto de Ana Bola - quer realizar um espectáculo e a receita será doada aos bombeiros - ou de Rui Sinel de Cordes - (aquele humorista que muitas pessoas odeiam de morte) que vai fazer um espectáculo na Madeira e doar o dinheiro às vítimas - também são nobres. Mas, mais uma vez, não são uma obrigação. São atitudes nobres que também não fazem destas pessoas melhores do que as outras apenas porque deram a cara num momento difícil. Simplesmente (e ainda bem) fizeram uso da sua faceta mediática (refiro-me à actriz e ao humorista) para mobilizar algo que será útil a muitas pessoas.

Sempre ouvi dizer que as acções ficam para quem as pratica. E ainda bem que estas três pessoas fizeram algo que muitos poderiam ter feito mas que optaram por não fazer. Não existe uma obrigação. Porque se assim fosse estariam obrigados a ajudar em todos os problemas nacionais. É mais um dever moral. Realço apenas o nome de Rui Sinel de Cordes, um mal amado que muitas pessoas julgam sem conhecer, misturando a sua carreira com aquilo que é enquanto homem. Obrigado a todos!

Sem comentários:

Publicar um comentário