29.8.16

traficantes

Numa das últimas vezes que fui ao cinema vi o trailer de War Dogs (Os Traficantes, em português) e disse imediatamente à minha mulher que tínhamos de ver o filme. E assim foi. Para começar é baseado numa história verídica, o que é meio caminho para me conquistar. No último livro que li, a autora explicava que as pessoas gostam da sensação de veracidade numa história. E acho que isso se aplica ao cinema. Saber que a história (ou grande parte dela) é real é algo que apaixona e prende quem vê. Pelo menos comigo é assim.

Voltando ao filme, War Dogs dá a conhecer a história de Efraim Deveroli e David Packouz, dois amigos de infância que se reencontram e que acabam juntos num negócio de venda de armas. Sendo que o maior cliente da empresa de ambos é o Governo norte-americano. Para aqueles amigos a guerra não passa de um negócio em que equipar cada soldado custa qualquer coisa como 17500 dólares. Os amigos acabam por fazer um negócio com o Governo a troco de 300 milhões de dólares. Até chegar a este ponto e depois do mesmo acontecem muitas coisas que merecem uma ida ao cinema.

Efraim Deveroli é interpretado por Jonah Hill, actor que conheci em comédias mas que já provou que o seu talento vai muito além do humor. Algo que já tinha feito, por exemplo, em O Lobo de Wall Street e que prova igualmente neste filme. David ganha vida com o talento de Miles Teller, que me conquistou com Whiplash. War Dogs está cotado, no IMDB, com uma pontuação de 7,3. Acho que tudo isto é mais do que suficiente para que este filme mereça ser visto no cinema. Além disso é uma história que merece ser contada e que mostra um lado da guerra que talvez não seja muito comentado.

Se isto não for suficiente, ir ao cinema e ver War Dogs permite que se fique a conhecer a beleza de Ana de Armas (apelido curioso para o filme em questão), uma actriz cubana. E digo conhecer a beleza desta jovem actriz porque a sua prestação no filme não tem grande impacto.

Sem comentários:

Publicar um comentário