7.2.22

estás preparado para viver em instagram e facebook? (sim, pode vir a acontecer em breve)

Faço parte de uma geração que viveu uma boa parte de tempo sem redes sociais. Aliás, recordo-me de ter recebido o meu primeiro telemóvel (não confundir com smartphone) já no secundário. E que o mesmo servia para chamadas e nada mais. Relembro-me também de o envio de mensagens começar a ganhar popularidade. E mais tarde, as redes sociais.

Aliás, o mais próximo de rede social era mesmo o mIRC. As salas de conversação e os famosos DD TC? Que era como se perguntava de onde a outra pessoa estava a escrever. Depois foi o Hi5, mas sempre sem a loucura social que se vive nesta era. E, verdade seja dita, é uma consequência da evolução das tecnologias. Ainda que muitas pessoas exageram nesta realidade. Agora, fico a ideia de que muitas pessoas não conseguiriam viver sem Facebook ou mesmo Instagram.

Mas é melhor que estas pessoas se preparem para isto. Que pode vir a ser uma realidade em breve. Pois Mark Zuckerberg está a ameaçar banir o Facebook e o Instagram da Europa. Algo que é visto como uma pequena ameaça à Europa. Que não permite, desde 2020, a partilha de dados dos utilizadores para os Estados Unidos da América. O milionário entende que isto é fundamental para o funcionamento das redes sociais e avança com a ameaça caso não exista uma alteração na lei europeia.

Acho que esta eventualidade deveria ser o mote para que as pessoas pensassem como seria a sua vida sem redes sociais. Pelo menos sem duas das que são mais populares em Portugal. Ao deparar-me com a notícia dei por mim a pensar nisso e acredito que não teria qualquer problema em desligar-me do mundo virtual. Gosto muito do Instagram, mas não sou das pessoas mais activas nesta rede. Quanto ao Facebook, já estive para acabar com a página (pessoal) muitas vezes. Acho que se tornou num mundo feio habitado por (muitas) pessoas más. É um sítio de ódio. Do qual me tento afastar cada vez mais. Por isso, fica a pergunta: conseguias viver sem estas duas redes sociais?

Sem comentários:

Enviar um comentário