29.5.20

pjanic, provavelmente o génio mais subvalorizado do futebol europeu

Se há coisa que aprecio é uma boa conversa sobre futebol. E tenho a certeza de que, caso esteja a discutir nomes de craques do futebol actual, quase todos vão referir os nomes de Cristiano Ronaldo e Lionel Messi. Depois, podem surgir muitos outros nomes, que estão num segundo plano. Estou igualmente certo de que poucos irão mencionar o nome de Miralem Pjanic. Que para mim é um dos génios mais subvalorizados do futebol europeu. Mas talvez isto venha a mudar em breve.



Notícias vindas de Espanha dão Pjanic, de 30 anos, como certo no Barcelona, que está a pensar renovar o plantel. As negociações desenrolam-se há vários dias e a Juventus teria o desejo de receber Arthur em troca. Os catalães disseram que não e existem dois nomes que estão bem cotados em Itália. Um deles é o português Nelson Semedo e o outro o médio Rakitic, que tem perdido espaço no Barcelona. Todibo é outra das hipóteses. Existia ainda a possibilidade de Arturo Vidal regressar a Turim, mas o chileno deverá ser incluído num negócio com o Inter, que deverá levar Lautaro Martínez para a Catalunha.

Primeiros toques na bola foram no Luxemburgo


Nascido na Bósnia, cedo Miralem Pjanic foi viver com a família para o Luxemburgo. Além de trabalhar numa fábrica, o pai do jogador também jogava futebol. E desde pequeno que Pjanic se habituou a acompanhar o progenitor nos treinos. A família não precisou de muito tempo para perceber qual a paixão de Pjanic. Que ia para a garagem, de noite, para treinar. Chegando mesmo a assustar a família que pensava ter ladrões em casa. Com apenas 7 anos já tinha assinado pelos luxemburgueses do Schifflange 95. E por lá ficou até atrair olheiros de diversos países.

Transferências de Pjanic nunca movimentaram muito dinheiro


Aconselhado pelo pai (e também pelo clube) aceitou a proposta dos franceses do Metz, passando a fazer parte das camadas jovens do clube. Isto em 2007. 38 jogos foram suficientes para atrair a atenção do poderoso Lyon. Clube ao qual chegou em 2008, a troco de 7,5 milhões de euros. Rapidamente confirmou o talento e em 2011 mudava-se para Itália. Pjanic assinou pela Roma a troco de 11 milhões de euros. É neste clube que tem os melhores números e, em 2016 muda-se para a Juventus, num negócio que envolveu 32 milhões de euros. Isto numa altura em que estava avaliado em 35. Prova de que até do ponto de vista financeiro é um dos jogadores mais subvalorizados. Algo evidente em todos os negócios.

O talento que revela em campo, especialmente a criatividade e controlo de bola, valeu-lhe a alcunha de pintor. Juninho, antiga estrela do Lyon, veio mesmo a público revelar que Pjanic era o melhor jogador do mundo a marcar livres directos. Apesar dos elogios, a verdade é que o médio nunca foi um dos nomes mais mediáticos. Mesmo no Instagram, o jogador conta “apenas” com 5,1 milhões de seguidores. Caso se confirme a mudança para o Barcelona, acredito que irá mudar a forma como todos olham para um dos melhores médios do futebol europeu.

Sem comentários:

Publicar um comentário