9.5.20

olivia jackson, um braço perdido e o lado menos bonito de hollywood

Vamos recuar até 2015. Olivia Jackson era uma modelo e dupla. Que nessa altura estava a trabalhar como dupla de Milla Jovovich em Resident Evil: Capítulo Final, filme que iria estrear no ano seguinte. Este projecto ficará para sempre gravado na memória de Olivia Jackson, devido a um grave acidente que mudou a vida da dupla. E que teve lugar nas filmagens na África do Sul.

Como sempre acontecia, Olivia Jackson estava no lugar da protagonista. Desta vez, ao volante de uma moto. Até que colidiu com uma câmara que estava presa a uma barreira que estava ligada a um veículo motorizado. A ideia seria que a câmara passasse por cima de Olivia. Só que a mesma não foi levantada a tempo, dando origem assim ao acidente.

17 dias em coma


Olivia Jackson passou 17 dias em coma. Além disso, o braço esquerdo teve de ser amputado. Realce ainda para muitas outras lesões, incluindo fracturas na coluna vertebral. E ainda sangramento no cérebro. Agora, passados cinco anos, a dupla vence uma etapa de uma já longa batalha judicial contra a empresa responsável pelas filmagens naquele país.

O Supremo Tribunal da África do Sul decidiu que a cena em causa foi planeada e realizada de forma negligente por parte da Bikers Action South Africa, a empresa contratada para o efeito. Esta, por sua vez, defendeu-se das acusações dizendo que o problema estava na moto conduzida por Olivia Jackson. A Variety teve acesso à sentença, revelando que existiu uma clara tentativa de culpar a dupla pelo sucedido.

Apesar da vitória, a batalha está longe de ser ganha. Neste momento, Olivia Jackson desconhece se (e quando) irá ser compensada financeiramente pelo acidente que lhe roubou um braço. O Supremo Tribunal da África do Sul entende que o incidente deverá ser tratado como um acidente de trânsito. Sendo o Fundo de Acidentes Rodoviários daquele país que deverá indemnizar a dupla. Estima-se que sejam necessários mais dois, ou três, anos para ficar a saber qual o valor que Olivia Jackson irá receber.

Antes de tudo isto, os advogados de Olivia Jackson já tinham processado Jeremy Bolt (produtor do filme) e Jeremy Anderson, o realizador e argumentista do projecto. Caso que rapidamente caiu por terra porque o processo deu entrada em Los Angeles, Estados Unidos da América, e os réus entenderam que as autoridades daquele país não tinham jurisdição sobre o caso.

"Sinto falta da minha cara antiga"


No meio de tudo isto está Olivia Jackson, que já comentou o sucedido. "Sinto falta da minha cara antiga. Sinto falta do meu corpo antigo. Sinto falta da minha vida antiga. Pelo menos agora tenho finalmente uma sentença judicial que prova que essa cena foi mal planeada e que a culpa não foi minha", começa por dizer, num comunicado enviado aos jornalistas.

"Mas dói muito que tinha de viver após os erros de outras pessoas, quando além de um curto período da minha hospitalização na África do Sul, nenhuma das pessoas que cometeu esses erros ou lucrou com este filme, que facturou 287 milhões de euros, me apoiou financeiramente", conclui. A título de curiosidade, Olivia Jackson é casada com Dave Grant, que costuma ser o duplo de James Bond. O casal tinha casado recentemente na altura do acidente. Fica assim a nu um dos lados menos bonitos de Hollywood.



Sem comentários:

Publicar um comentário