9.3.20

eu gostei do filme. a protagonista diz que se arrepende de o ter feito

Existem filmes que são criados a pensar em prémios e em determinados tipos de público. Já outros são menos ambiciosos. É aqui que entram aqueles a que gosto de chamar filmes de domingo à tarde. São aqueles que são óptimos para entreter e passar um bom bocado em frente à televisão. Sendo certo que não serão os principais candidatos aos Óscares.

É nesta categoria que incluo O Amor é Cego, uma comédia romântica de 2001, protagonizada por Gwyneth Paltrow e Jack Black. Para quem não se recorda, o actor só se envolve com mulheres que acha atraentes fisicamente. Até que fica fechado com um guru no elevador, que faz com que passe a apaixonar-se por mulheres devido à sua beleza interior. É assim que se apaixona pela personagem da actriz, que vê magra, quando na realidade tem muito mais peso.

Assumo que achei piada ao filme. Pelos motivos que referi anteriormente. Mas este é aquele que Gwyneth Paltrow se arrepende de ter feito na carreira. Algo que revelou durante o programa The BFF Test, em que coloca perguntas a Kevin Keating, que além de ser o seu melhor amigo é também seu assistente. Sobre o filme que Gwyneth se arrepende de ter feito, o amigo disparou logo o nome O Amor é Cego.

Brinca ainda, afirmando desconhecer quem a tinha aconselhado a aceitar o filme, pois não trabalhava com a actriz. “Vês o que aconteceu? Desastre”, diz Gwyneth Paltrow. Que desenvolve mais a resposta. Que está relacionada com a forma como era observada quando tinha o fato para ficar obesa. Gwyneth Paltrow relembra mesmo a primeira vez que atravessou o lobby do hotel com o fato vestido. “Foi muito triste”, conta. “Foi perturbador. Ninguém estabelecia contacto visual comigo porque estava obesa”, acrescenta. Diz ainda que as roupas feitas para mulheres com excesso de peso são “horríveis” e que se sentiu “humilhada porque as pessoas são desdenhosas”, termina.

Sem comentários:

Publicar um comentário