5.3.20

aquilo que preferem não dizer sobre rúben amorim

Rúben Amorim já foi confirmado como novo treinador do Sporting. Existe muito para discutir, mas vou centrar-me num detalhe: o benfiquismo assumido de Rúben Amorim. Quando os boatos começaram a ganhar mais força, todos recordaram a entrevista do treinador a Rui Unas. Aquela que se se assume como fanático pelo clube onde passou grande parte da carreira de jogador. “A minha mãe e o meu pai são benfiquistas e iam muitas vezes ao estádio. Já tinham essa cultura de ir ao estádio e eu apanhei-a. Eu e o meu irmão ficámos fanáticos pelo Benfica”, disse, durante uma conversa para o Maluco Beleza.

E tudo tem andado em torno disto. Como se fosse a única entrevista dada por Rúben Amorim. Assim sendo, vou recordar outra. Esta dada ao Tribuna Expresso, que muito aprecio. E, sem qualquer espanto, também aqui falou sobre o amor que sente pelo Benfica. “Assinei pelo Benfica com o coração. Naquela altura, ia ganhar mais num clube alemão do que alguma vez ganhei no Benfica”, explicou.

Mas este não é o motivo pelo qual recordo esta conversa. É que aqui, quando tinha 32 anos, o já ex-jogador dava os primeiros passos na formação como treinador e até já antecipava a possibilidade de treinar um adversário directo do clube que o faz vibrar. “É certo que um treinador tem que ter as portas abertas em todo o lado, mas, a meu ver, é preferível ser sincero com as pessoas, porque se for treinar um clube qualquer que seja adversário directo do Benfica, acho que as pessoas preferem que diga 'sou do Benfica, mas sou profissional', do que estar a dizer que era um boato. Já joguei contra o Benfica mil vezes, mesmo emprestado, e toda a gente sabe que, quando chega o momento, separo as águas. Agora, vejo-me a treinar o Benfica, o que será treinar um grande clube mundial”, contava.

Está tudo aqui. Rúben Amorim disse tudo. É benfiquista, mas acima disso, é profissional. E tal como ele, também prefiro a sinceridade do que mentiras para disfarçar e conquistar pessoas. Acredito também que continua a ter o desejo de ser treinador principal da equipa do Benfica. E acredito que esta vontade não está totalmente hipotecada por passar primeiro pelo Sporting, o grande rival histórico dos encarnados.

Sem comentários:

Publicar um comentário