17.3.20

a perigosa tendência sexual que nasceu com o coronavírus

O aumento de número de pessoas infectadas com coronavírus tem dado origem aos mais diversos medos junto da população. Aquilo de que não estava à espera era de que esta pandemia desse origem a uma tendência sexual. Que envolve gel desinfectante e que é considerada perigosa por parte dos médicos. E é esse motivo que me leva a partilhar esta informação aqui. Pois espero que as pessoas que por aqui passam não estejam a colocar esta tendência sexual em prática.

É certo que estamos a ser aconselhados a lavar as mãos com frequência. Com água e sabão ou gel desinfectante, na impossibilidade de recorrer à água e sabão. Mas lá porque o gel é bom para as mãos, não significa que seja para todas as partes do corpo. Ainda assim, diz que existem muitos homens que estão a correr ao gel desinfectante para a masturbação. Algo que é perigoso tanto para homens como para mulheres. Esta prática é severamente criticada pelos médicos.

Como é o caso de Earim Chaudry, director clínico da Manual, uma marca britânica. Em conversa com o jornal Metro, o profissional de saúde deixa o alerta para o uso de gel desinfectante em peles sensíveis. “A masturbação é uma coisa natural de que muitas pessoas gostam. No entanto, aconselho vivamente a não usar desinfectante para as mãos nos genitais para se masturbar”, começa por dizer Earim Chaudry. “Um dos principais ingredientes de muitos desinfectantes para as mãos é o álcool isopropílico. Que não é seguro para uso interno e, se usado durante a masturbação, pode abrir caminho pela abertura vaginal ou peniana e isso danificará a pele interna”, continua. “O álcool está a secar e a pele dos órgãos genitais também é sensível e facilmente danificada”, conclui.

Se a ideia for usar gel lubrificante para que o sexo, ou masturbação, sejam melhores e mais suaves, o médico recomenda que escolham uso de lubrificantes à base de água. Que são seguros e compatíveis com o uso de preservativos.

Sem comentários:

Publicar um comentário