10.12.18

como é fácil manipular uma imagem e catalogar uma pessoa

Por estes dias muito se tem falado da manifestação que está a decorrer em Paris. Sendo que nas últimas horas o destaque vai para uma imagem captada durantes os protestos dos coletes amarelos. Na foto em questão é possível ver uma jovem sorridente dentro de um Burger King que está a fotografar a confusão que acontece na rua, onde o realce vai para o gás lacrimogéneo.



Olhando para a imagem rapidamente se começou a dizer que era o espelho da atualidade. Uma jovem confortável a fotografar o caos enquanto se ri daquilo que vê. Esta é a mensagem que tem sido passada e que tem levantado uma grande polémica. Quando na realidade... nada disto faz sentido. E teve de ser o próprio fotógrafo a revelar aquilo que aconteceu.

A imagem foi captada no dia 1 de Dezembro e o fotógrafo tem a opinião de que deverá ser uma funcionária do Burger King, que tinha sido encerrado naquele dia. Conta ainda que a jovem estava a fotografar aquilo que estava a acontecer na rua (quem não o faz ou fazia naquela situação?) até que se apercebeu de que era o foco dos fotógrafos. Que começaram a fotografá-la e o resultado é uma imagem forte, disso não há dúvidas. Só que os sorrisos só surgem quando nota que está a ser fotografada, sendo que existem imagens em que está a dizer adeus aos mesmos.

Só que a imagem isolada, e sem contexto, parece a de uma jovem que aparentemente encontra gozo no caos em que Paris mergulhou nos últimos dias. Quando na realidade está a fazer aquilo que todas as pessoas fazem. Quantas notícias, mesmo de atentados, já tiveram uma imagem porque foi uma pessoa anónima que recorreu ao smartphone para registar o momento? E nada disto está errado.

Fica é provado que é muito fácil manipular uma imagem. E aquilo que é verdadeiramente assustador é a facilidade com que se manipulam pessoas, alimentando as mesmas com informações falsas que são consumidas como verdades absolutas.

Sem comentários:

Publicar um comentário