2.1.17

era capaz de viver aqui

O maior elogio que posso fazer a um local que visito é dizer: “era capaz de viver aqui”. E estou a excluir aqueles locais de praia que visito apenas por esse motivo. Aqueles destinos que servem para descansar mas que provavelmente se tornam aborrecidos para viver durante algum tempo. Refiro-me sobretudo a cidades que visito.

Nas diversas vezes em que estive em Barcelona imaginei-me a viver por lá. Em Paris já senti o mesmo. E agora tenho esta sensação em Sevilha. Em especial após a segunda visita que fiz a um local que cativa e do qual é muito fácil sentir saudades. Talvez seja o meu lado de turista que me faz pensar isto mas acredito que não. É a cidade que faz com que qualquer pessoa se sinta bem.

A beleza destaca-se. As pessoas são simpáticas. Os locais acolhedores. A comida é boa e barata. Existe uma “tradição” de convívio ao final do dia que infelizmente não existe por cá. As pessoas gostam de andar bem arranjadas. Podem ir beber uma cerveja com amigos mas estão vestidos sempre de forma elegante. O clima é óptimo. É tudo em bom!

Como referi, poderia ser o meu lado de turista a falar por mim. Mas percebo que não estou longe da verdade quando um amigo, que viveu seis anos em Sevilha, me diz o mesmo. E conta que só não volta para lá porque foi pai. E os elogios que faz à cidade, tendo vivido lá durante muito tempo, são os mesmos que faço com duas visitas de alguns dias. Gosto de locais assim, que dão vontade de fazer as malas e partir numa aventura longe da zona de conforto.

Sem comentários:

Publicar um comentário