9.11.16

anda lá o quê ò car****

Na maioria dos casos passa-se a ideia de que os jornalistas têm uma profissão de sonho e muito bem remunerada. Creio que esta é ainda a ideia geral em torno da profissão que escolhi. Quanto ao emprego ser de sonho... talvez o seja para muitos jornalistas. Para outros é uma profissão extremamente desgastante. E refiro-me ao desgaste mental que nem sempre se recupera com uma boa noite de sono e que pode deixar marcas.

Quanto ao dinheiro, existem jornalistas que são muito bem remunerados. Mas são uma excepção. A maioria dos jornalistas recebe muito pouco. Muito longe dos valores com que muitas pessoas sonham. Depois existe a ideia de que a vida de um jornalista é muito porreira e que os jornalistas são uns chatos que maltratam as pessoas. As pessoas têm esta ideia porque este é o lado que conhecem. Poucas pessoas sabem a verdade sobre o jornalismo. Ouvem apenas pessoas conhecidas falar mal dos jornalistas e criam a sua ideia com base neste cenário.

Felizmente, existem casos em que os jornalistas não têm receio de mostrar o outro lado. O tal lado que as pessoas desconhecem. Como é o caso deste vídeo. Nesta reportagem pode ver-se a forma como Nuno Saraiva, director de comunicação de uma grande instituição como é o Sporting, fala com um jornalista. “Anda lá o quê ò car****”, é o que lhe diz quando este pede que diga aquilo que vai dizer aos jornalistas.

O jornalista poderá não ter sido o mais correcto. Mas uma pessoa com um cargo destes nunca pode ter uma reacção destas nem pode "crescer" para o jornalista. Pode convidar o jornalista a sair. Pode fazer mil e uma coisas mas não pode reagir assim. E infelizmente isto é mais comum do que as pessoas pensam. Poucas pessoas têm noção dos riscos que alguns jornalistas correm. Das ameaças que são feitas. A si e em alguns casos às suas famílias. Das pressões. Das perseguições. Mas este lado é desconhecido das pessoas. As pessoas só olham para os títulos mal escritos, para as falhas, para os erros básicos mas nunca pensam em tudo o resto. E este “resto” nada tem de simpático.

É um facto que a profissão é nobre. É uma realidade que é algo que pode ser apaixonante, apesar do grande desgaste que tem na maioria dos casos. É uma área muito boa e não existe necessidade de ter pena dos jornalistas. Mas é igualmente verdade que existem muitas coisas com que as pessoas nem sonham. Uma realidade que desconhecem e que faz com que tenham uma ideia totalmente errada dos bastidores do jornalismo.

Sem comentários:

Publicar um comentário