8.9.16

as duas faces do dinheiro

As moedas têm duas faces. Mas não só. Parece que todo o dinheiro tem duas faces. Principalmente o desejo (legítimo) de querer mais dinheiro. Primeiro existe o eu. Eu quero mais dinheiro. Eu considero legítimo ganhar mais dinheiro e ser melhor remunerado por aquilo que faço. Infelizmente o meu patrão não acha o mesmo. Defende que já sou bem pago. Ou até acha que mereço mas diz que não me pode aumentar. Surge uma hipótese de mudar de empresa. Onde vou receber muito mais. Entendo mudar. Procurei melhor. Fui atrás do que considero justo. E que ninguém questione o que fiz.

Depois existe o outro. Que basicamente é igual a mim em tudo. A única diferença é que não sou eu. De resto, é uma pessoa que quer mais dinheiro. Também considera legítimo ganhar mais dinheiro. Quer ganhar mais. E acha que merece mais. Mas, tal como eu, o patrão não o aumenta. Porque não quer ou porque não pode. Também o outro tem uma hipótese de mudar de empresa. Onde irá receber mais. Decide mudar. Procura melhor. E vai atrás do que considera justo. É tudo praticamente igual.

Só existe uma diferença. Aquilo que considero justo para mim não é justo para o outro. O outro só quer dinheiro. O outro só pensa em dinheiro. O outro é movido pelo dinheiro. É um interesseiro. Não pensa em nada. E esta é a outra face do dinheiro. Na realidade (existem excepções) é igual a todos. É alguém que considera que merece mais. E que procura mais. Mas aquilo que é legítimo para mim nunca será para o outro. Esse será sempre um cabrão que só vê dinheiro à frente.

Sem comentários:

Publicar um comentário