27.4.16

era mesmo caso para dizer: "simba? que se f*** que era só um cão"

Se não estou em erro este é o terceiro texto que dedico a Simba, o Leão da Rodésia que foi morto a tiro por um vizinho, no ano passado. Em relação ao que já escrevi pouco posso acrescentar e quem por aqui passa sabe o que sinto em relação aos animais, sobretudo em relação aos cães, que são a minha paixão. No último texto congratulei-me pelo início do julgamento daquele que era o presumível autor do crime. Agora escrevo para contar que o homem foi condenado pela morte de Simba.

De forma resumida, o homem que assassinou Simba foi condenado a pagar 4000 euros de indemnização aos donos do animal. O juiz entendeu que o autor dos disparos agiu deliberadamente mesmo com este a dizer que a intenção dos disparos era afugentar o cão. Fica também proibido de usar uma arma durante o período de um ano. Por outro lado, Diogo Castiço, dono de Simba foi condenado a uma multa de 2100 euros por crime de ameaça agravada e cinco crimes de injúria por ter chamado assassino ao autor dos disparos. E tudo isto provoca em mim um misto de sensações.

Primeiro fico feliz por este caso (que dará esperança a tantos Simbas) não ter caído em saco roto. Felizmente o caso foi levado até ao fim, houve julgamento e uma condenação por maus tratos a animais. Isto é algo que me deixa esperança para o futuro e para tantos casos semelhantes que passam impunes. Mas tudo isto sabe a muito pouco. É certo que haverá muita gente a considerar que pagar 4000 euros é uma “pequena” fortuna quando se trata da morte de um cão. Mas qualquer pessoa que tenha um cão saberá que 4000 euros não são suficientes para “comprar” a ausência de um dos nossos. E que me desculpem os mais sensíveis mas é a mesma coisa que imaginarem se aquele valor compra a companhia de quem mais gostam e da qual ficam privados devido a um crime cometido por outra pessoa. Com isto não estou a querer dizer que a multa deveria ser maior. Talvez o melhor fosse até outro tipo de castigo. E melhor ainda seria que o tribunal não considerasse um cão como um objecto.

Por outro lado é completamente absurdo que uma pessoa seja condenada a pagar quatro mil euros por ter ficado provado que foi um assassino e que outra seja condenada a pagar 2100 por chamar assassino a quem realmente o é (de acordo com o tribunal). Será que são 1900 euros que separam um assassino de quem tem coragem de o dizer, quando está certo do que diz? Quem é que no lugar de Diogo Castiço não chamaria assassino ao homem que fez os disparos?

Estou feliz por saber que uma pessoa que maltratou um animal foi condenada. Estou triste por saber que o dono do animal foi condenado. E bastante desiludido pelo facto de o tribunal olhar para um cão como um objecto. Misturando isto tudo quero acreditar que é apenas um pequeno passo de bebé dado na direcção correcta. E quero deixar aqui o meu agradecimento ao Diogo Castiço por não ter desistido e por não desistir. Tenho a certeza de que o Simba agradece, tal como tenho a certeza de que todos os Simbas vão acabar por se sentir um pouco mais protegidos tal como tantos donos de tantos outros Simbas vão finalmente perceber que vale a pena lutar por algo tão simples e importante como justiça.

Sem comentários:

Publicar um comentário