29.2.16

aleluia aleluia aleluia

Só ontem é que fui ver The Renevant: O Renascido, que há muito desejava ver. Acabei por esperar pelo dia dos Óscares para ver o filme que a crítica mencionava como aquele que certamente faria justiça na carreira de Leonardo DiCpario, valendo ao actor o seu primeiro Óscar para Melhor Actor. Em relação ao filme pouco existe para dizer. Uma história verídica passada na perfeição por Iñárritu para o grande ecrã. Quem conhece a história do filme, não a história de Hugh Glass (interpretado por Leonardo DiCaprio), saberá que demorou muito mais tempo do que o previsto. Que foi necessário viajar até à Argentina em busca de mais neve pois o atraso fez com que já não houvesse neve no primeiro local de filmagens. Sabe-se também que Iñárritu só filmou com luz natural. E tudo isto faz com que o filme tenha um impacto e beleza ainda maiores.

Quanto a Leonardo DiCaprio, saí da sala a dizer à minha mulher que se não ganhasse o Óscar este ano provavelmente nunca ganharia. E digo isto pela exigência física do papel. Pela representação física do actor que pouco fala ao longo de todo o filme. Mas o que falta em palavras existe, em grandes doses, em dureza física de um papel muito complicado de fazer deste aspecto. Acredito que, com maior ou menor dificuldade, todos os actores são capazes de estar num estúdio a debitar texto. Fazer o que DiCaprio faz neste filme já é mais complicado. Trata-se de um papel com uma exigência física fora do comum. Para dar uma ideia, e sem querer falar muito do filme para não estragar os planos de quem o deseja ver, chegou a um ponto em que Leonardo DiCaprio já tinha piolhos no cabelo e na barba durante as exigentes filmagens desta longa-metragem.

Acho que já era altura de poder partilhar esta imagem sem necessitar de uma montagem nem de meia dúzia de piadas sobre o facto de Leonardo DiCaprio arriscar ser o eterno nomeado dos Óscares que nunca conquistaria uma estatueta dourada.



Por outro lado, e já nesta manhã, um amigo dizia-me que não gostou do filme e que Leonardo DiCaprio já teve papéis bem melhores. Como referi, acho que a dureza deste papel está na exigência física e na representação sem recorrer a textos, algo que considero muito complicado para a maioria dos actores. Nesse sentido, considero que este prémio é mais do que justo. Mas, se olhar para a carreira de DiCaprio considero que este deveria ter sido mais um Óscar e não o primeiro. E vou buscar apenas dois exemplos: O Lobo de Wall Street (um papel desvalorizado por algumas pessoas devido ao tipo de filme que é) e Diamante de Sangue (que teve o "azar" de competir com outro grande filme, O Último Rei da Escócia). E podia ir buscar muitos outros filmes.

Sem comentários:

Publicar um comentário