20.6.12

quando amar não é suficiente

A música que coloquei ontem no blogue, e alguns comentários à mesma, fizeram-me pensar na seguinte questão: porque será que amar e ser amado nem sempre é suficiente para que duas pessoas estejam juntam e sejam felizes?

Amar alguém e ser correspondido nesse amor não deveria bastar? Não deveria ser a base de uma vida feliz? Eu acho que sim mas acredito que muitas vezes não chega. Os motivos? Penso em vários. Razões essas que para muitas pessoas são suficientes para não se viver um amor puro e bonito.

Refiro-me a diferenças culturais e raciais, por exemplo. Ocorre-me também pensar em amores que não são vividos por influência de familiares ou mesmo de amigos. Também imagino duas pessoas que se amam loucamente mas que não conseguem viver juntas. E, sem forças para lutar por esse amor, cedem às diferenças e optam por se afastar.

Sou capaz de pensar nestes motivos. Sou também capaz de tentar percebê-los mas sou incapaz de aceitá-los. Porquê? Simples. Para mim, amar e ser amado é suficiente. E quando isso acontece, nada nem ninguém me afasta dessa realidade.

48 comentários:

  1. Ainda bem que acreditas.....espero que assim permaneças...significa que a tua experiencia nunca passou pelo inverso.
    Eu acho que amar e ser amado é maravilhoso.....
    Talvez dure realmente enquanto se ama, e tudo acabe quando o amor já não o é...talvez....
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que já todos nós gostamos de alguém que não gostou de nós. Claro que é maravilhoso. E se algo acaba é porque tinha que acabar. O que eu não aceito é que duas pessoas que se amam não estejam juntas

      beijos

      Eliminar
    2. Claro, eu entendo....mas sabes que eu acreditei verdadeiramnete nisso....e na realidade é quando o amor afinal nem é assim tãoooooo forte...que tudo o resto desmorona....sem duvida....been there..twice ;)
      Back on my feet!! :)
      bjo

      Eliminar
    3. Pois. Eu acho que enquanto há amor forte, tudo se aguenta. Tudo se supera. Tudo parece pequeno. Back on my feet, assim é que é! Boa!

      Eliminar
  2. É bonito ver que pensas assim. Também partilho do mesmo pensamento, dessa perspectiva que tanto tem de romântica, como de pura. Se ainda não encontraste, que tenhas muita sorte em encontrar o amor da tua vida. Certamente farás de tudo para serem felizes. Um amor puro e bonito, tem isso mesmo: essa pureza e beleza, incapazes de serm destruídas. Se for mútuo, forte e compatível, em todos os sentidos, em todas as palavras, em todos os gestos, em todos os objectivos e perspectivas de vida, então sim, tem tudo para dar certo. E aí, sobrevive às dificuldades, às discussões, à distância e mesmo à diferença cultural.

    Vanessa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É a minha forma de pensar. Mais uma vez, utilizo uma música para explicar o que sinto e penso: Marvin Gaye & Tammi Terrell "Ain't no Mountain High Enough" Assim deve ser o amor!

      Eliminar
    2. Mas nunca devemos esquecer que o amor se exprime de diversas formas, não apenas pelo dizer de "amo-te". Os gestos, as acções, as palavras de amor, os mesmos princípios e valores, a capacidade de partilha, de diálogo, de compreensão, de entendimento, a vontade e capacidade de estar a cem por cento na relação, o planeamento do presente e de um futuro em conjunto, são aspectos fulcrais. É como eu costumo dizer: o amor da nossa vida não é alguém que troca connosco umas simples ideias ou sorrisos. O amor da nossa vida é aquela pessoa que desperta o melhor que há em nós. Quando tudo isto existe, então esse amor é tudo de especial que podemos ter. Porque fará de nós melhores seres humanos, maridos e mulheres, pais e mães. E no final, só devemos agradecer todos os dias, por termos sido abençoados com algo assim.

      Vanessa

      Eliminar
    3. Claro! O amor não se diz, sente-se! De que valem palavras bonitas sem acções que realemente provem esse amor. Ontem vi um filme que tinha uma frase muito bonita numa situação passada entre um casal. O marido, depois de fazer uma asneira que pode colocar em risco a vida da família diz à mulher: "tu vais deixar de gostar de mim e eu compreendo-te". Responde ela: "Posso odiar-te mais mas nunca te vou deixar de amar". O amor é isso mesmo!

      Eliminar
    4. Sim, quando se ama de forma pura e sincera, esse amor não se apaga de um dia para o outro. Pelo menos, é dessa forma que eu penso e sinto. Em relação a essa frase, poderei estar a ser ingénua, mas acredito que quem me amar, seja incapaz de me magoar. Erramos, sim, falhamos sim, mas magoar já tem outro sentido e já atinge outro patamar. Especialmente quando é feita de forma intencional e repetitiva. Nessa situação, por muito amor que exista, não é viável. Da minha parte, o amor é tudo aquilo que disseste, mas deve ter especialmente três coisas:
      1- ser de alma, corpo e coração puros;
      2- darmos o melhor e tudo de nós;
      3- fazer o possível para não magoar e tudo para fazer a outra pessoa feliz

      Vanessa

      Eliminar
    5. No caso que relato no filme é uma situação financeira. Não se trate de magoar alguem propositadamente. Tens razão nos três pontos.

      Eliminar
    6. Oh, então não explicaste, não adivinho:)Mas o que disse mantém-se, para outro qualquer aspecto da vida. O que referiste mais abaixo, em relação ao facto de duas pessoas estarem habituadas a viverem juntas... isso é bonito. Desde que seja de forma saudável e desde que o hábito signifique partilha, compatibilidade, família, união. O segredo está no casal, ou seja, ambos devem ter espírito de inovação, de darem algo de novo, de fazerem surpresas um ao outro, seja um jantar, uma saída, um serão, ou umas férias diferentes. Isso é saudável, mas atenção, nem todas as novidades são positivas. Existem rotinas e formas de estar que nunca devem ser mudadas, porque simplesmente caracterizam o casal e a relação que decidiram construir.

      Vanessa

      Eliminar
    7. Nem mais, o segredo está no casal :)

      Eliminar
    8. Não tenho dúvidas disso:)E é como dizes, amar e ser amada é a melhor sensação do mundo. É uma benção:)E devemos dar valor e preservar esse amor.

      Vanessa

      Eliminar
  3. "Se gosto de ti,
    Se gostas de mim,
    Se isto não chega,
    Tens o mundo ao contrário."

    Cisca
    istoaquiloeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderEliminar
  4. Acredito que o meu comentário tenha sido um daqueles que te fez pensar. Mas foi por não teres entendido bem aquilo que eu disse.
    Agora, sobre a tua questão em particular, concordo plenamente contigo. Amar e ser amado é o suficiente, sim. Se não o for, é porque um dos intervenientes (ou os dois) não está preparado para viver esse amor. Só assim se podem aceitar razões como diferenças culturais, raciais, de feitio, ou familiares para não dar certo. Se, efectivamente, as duas pessoas se amarem, acreditarem nesse amor e estiverem preparadas para o viver plenamente, nada nem ninguém poderá ser um obstáculo. Acredito piamente nisso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão. Foi um dos que me fez pensar. Sim, acredito que te estavas a referir a uma situação em que ser o mundo de alguém não basta. Aí entramos numa outra dimensão. No caso que falo, dou-te razão no que dizes :)

      Eliminar
  5. Na minha opinião o Amor não é suficiente para que duas pessoas fiquem juntas. Excepto se incluir tudo o resto que é fundamental: respeito, confiança, admiração mútua, companheirismo, amizade. E muitas vezes não inclui e por isso não, não é suficiente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para mim, se não inclui isso que disseste... não é amor!

      Eliminar
    2. É amor sim, mas é um amor doente.

      Eliminar
    3. Amor doentio faz-me entrar noutro patamar. Como aquele (infelizmente conheço casos) em que a mulher é agredida pelo homem mas não sai de casa por amor!

      Eliminar
    4. Também conheço um caso que apesar dela o amar muito saiu de casa com o filho por sofrer agressões fisicas por parte do marido.
      O excesso de controle, o ser analista de tudo o que se diz, que se come, que se faz é também violência doméstica, só não é fisica. Tudo o que se faz para condicionar o ser humano que mora connosco não é saudável, e a relação entre ambos não pode ser normal, apesar de se amarem muito.

      Eliminar
    5. Fico muito triste com notícias dessas :( Muitas vezes, esse tipo de violência é muito pior do que a física.

      Eliminar
  6. Pode haver amor de parte a parte e não haver respeito e compreensão em que tudo o que se diz, a outra parte guarda para atirar "à cara" na próxima oportunidade. Este desrespeito, misturado com um grande dose de contolo sobre a outra pessoa, não há amor que seja suficiente para aguentar. Viver com o eterno receio de se dizer algo que seja mal interpretado ou levar um raspanete porque não ligou no momento que chegou ao trabalho, para dizer que chegou bem, é viver no inferno e então o melhor amor é o que temos por nós próprios e o outro amor é melhor ficar por ali.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo com o que escreves. Mas pergunto. Isso será amor? Ou será uma realação que caiu no hábito, na rotina e na banalidade. Nesse caso, não estaremos a falar de duas pessoas que se habituaram a estar juntas?

      Eliminar
    2. Não quando namoravam há um ano e pouco e estão a viver juntas desde Março.
      Eu pessoalmente estou casada há 14 anos e amo o meu marido como quando o conheci há 16 anos, pois o respeito, carinho e compreensão são muitos importantes numa relação.

      Eliminar
    3. Dou-te os meus parabéns :) Prevejo problemas para a relação que me contas. Espero estar enganado

      Eliminar
  7. As coisas nem sempre são assim tão simples. Amar é, de facto bom, amar e ser devidamente correspondido é ainda melhor.

    ResponderEliminar
  8. Esqueci-me da cumplicidade :)
    Pode haver Amor sem alguns dos ingredientes que falei. Acontece. Afinal estamos a falar de coisas diferentes, o Amor é uma coisa, a confiança é outra e por aí fora. Quando todas se conjugam, então perfeito! E aí sim, there is no mountain high enough :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Será que não estamos a misturar amor com gostar de alguém? Para mim, o amor tem tudo o que dizes :) e aí... é a perfeição :)

      Eliminar
  9. Ain't! There ain't no mountain high enough :P

    ResponderEliminar
  10. Lindo o teu post, concordei com tudo, mas nem sempre as coisas se dão como no teu último parágrafo, como tu mesmo afirmas nos argumentos anteriores. Espero de coração que quando a coisa apertar para ti (porque elas apertam) tu segures a onda e reafirme o dito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado! Quando as coisas apertarem, e se apertarem, será o amor a mandar e a ditar as regras :)

      Eliminar
  11. Os dois amarem pode não ser suficiente, já vivi a situação, é do mais doloroso que pode haver. Muito dificil mesmo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que nunca passei por isso. Amar, ser amado e estar cada um para seu lado. Mas nem quero imaginar como seria. Acredito que tenha sido muito difícil para ti.

      Eliminar
  12. Amar e ser amado parece-me mais do que suficiente...
    Podem haver momentos difíceis, contratempos para resolver, mas amar e ser amado deve ser a melhor sensação do mundo.
    Espero vir a saber o que isso é...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo com o que escreves e desejo que descubras essas sensações em breve e que marquem a tua vida pela positiva

      Eliminar
  13. este post fez-me lembrar os livros de Jane Austen, onde se fala bastante das dificuldades que existiam à união de casais apaixonados. Uma das dificuldades era a diferença de classe social; outra era a falta de dinheiro de um dos lados, o que impedia o casamento.
    Actualmente com o estado das coisas penso que a falta de emprego ou um salário baixo pode condicionar uma possível união...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Falas num ponto que hoje, em pelo século XXI, ainda está muito presente na nossa sociedade. As relações que não são bem aceites por causa das diferentes classes sociais.

      Eliminar
  14. Adorei o post e deixou-me mesmo a pensar!! Concordo. Amar e ser amado é realmente o suficiente para uma relação funcionar!
    O problema é quando o facto de amar nos tolda a capacidade de ver além disso e acabamos por achar, sentir mesmo, que também somos amados. E na verdade não somos amados daquela forma que pode ser suficiente!
    Somos amados enquanto (bons)amigos, mas amamos enquanto "homem-da-minha-vida, tudo o que eu quero, meu amante, meu companheiro, meu tudo, minha pessoa"...E isto começa a tornar-se suficiente, quando não o deveria ser, começando até a sofrer-se uma certa violência psicológica misturada com um certo conformismo que (felizmente) pode ser fatal para uma relação!
    É mesmo...been there...o que me fez acordar foi o pensar no que responder à seguinte pergunta: "por muito que o ames, podes, queres, continuar nessa relação castradora?"
    *****

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelas tuas palavras. Não deixa de ser verdade o que dizes. Muitas vezes, o amor consegue alterar a nossa visão da realidade. O que nos faz mal tende a ser visto como um mal menor que não nos incomoda. E isso é mau. Como dizes, e muito bem, as pessoas têm que ter a capacidade de colocar a questão com que terminas o teu comentário.

      Eliminar
  15. Sabes, não sei que comentar, que pensar... Desde que publicaste o post penso no que escreveste e nos comentários.

    E fico por aqui, sem comentar nada...

    (...)

    Beijinhos. Be Happy! :)

    ResponderEliminar
  16. A minha última relação quando terminou nós amavamo-nos, e neste caso o Amor (Só) não chegou!

    ResponderEliminar